O que é a agricultura 4.0? Entenda!

  • Agronegócio
  • Inovação

Inovação, tecnologia e dados. Da forma como percebemos, esse é o DNA central da Agricultura 4.0, um conceito que aponta para o futuro da produção rural, tanto no Brasil como no restante do mundo. Por isso, pensando em nossos leitores que atuam nesse setor, elaboramos este post exclusivo sobre o tema!

O nosso objetivo é demonstrar um panorama desse futuro cada vez mais próximo, dedicado a implementar a inteligência e a automação no cotidiano das lavouras, conciliando software e hardware para alavancar resultados, reduzir custos e aumentar ganhos. Então, sem mais demoras, acompanhe!

O conceito da Agricultura 4.0

Independentemente do seu ramo de atuação, é bem possível que você conheça um pouco sobre as várias etapas da revolução industrial. A primeira foi representada pelo uso do carvão, a segunda pela eletricidade e a terceira pela informática. Em todos esses recortes históricos, existe um ponto em comum: o ganho explosivo em produtividade.

É justamente com isso em mente que a quarta revolução industrial vem sendo alardeada para os próximos anos, apontando como os conceitos computacionais de manipulação de dados serão fundamentais para o nosso próximo grande passo.

Assim, o meio acadêmico vem atribuindo a vários setores produtivos algumas adaptações desse conceito, como a Indústria 4.0, a Logística 4.0 e, como sugere este artigo, a Agricultura 4.0. E é nesse momento que o produtor rural é confrontado com uma dúvida: como isso impactará a minha produção?

Na realidade do agronegócio, essa revolução se baseia em três tecnologias fundamentais:

  1. o Big Data, um conceito que orienta o manuseio de grandes quantidades de informações;
  2. a Internet das Coisas, que atribui conectividade e comunicação entre sensores, máquinas e outros dispositivos;
  3. a Inteligência Artificial, normalmente aplicada na interpretação dos dados coletados pela ferramenta de Big Data.

Combinados, esses conceitos entregam uma gestão conectada e, a depender do grau de sofisticação, autônoma. Quer exemplos disso? Então, veja alguns cenários e funcionalidades que já são possíveis com a implementação dessas tecnologias:

  • sensores que monitoram, em tempo real, a umidade e a temperatura do ambiente;
  • drones que realizam rotas pré-programadas, examinando com suas câmeras e softwares a presença de pragas e as deficiências nas plantações;
  • equipamentos pesados e modernos, com sensores capazes de coletar e reportar dados de telemetria para o gestor da produção, antecipando a necessidade de procedimentos de manutenção;
  • sensores que acompanham a variação dos parâmetros do solo, como salinidade, umidade, compactação e afins.

A gestão baseada em dados e tecnologia

Como podemos ver, a Agricultura 4.0 vai muito além dos instrumentos responsáveis por sua última revolução, que foram as máquinas pesadas, como os tratores. De forma resumida, é como se essa nova fase do agronegócio fosse representada por uma série de práticas de ajustes finos que, no fim das contas, provocam ganhos drásticos na produtividade.

Contudo, além das tecnologias que serão protagonistas nessa revolução, a Agricultura 4.0 também exige a reconfiguração profissional e filosófica das pessoas que trabalham com o campo. Afinal de contas, o objetivo dessas novas técnicas é maximizar a produtividade por espaço de terra, literalmente, fazendo mais com menos.

É por isso que os produtores serão cada vez mais incentivados a adotar uma gestão voltada à produção sustentável, desenvolvendo maneiras equilibradas de extrair e produzir no ambiente em que estão colocados. Para acompanhar esse estímulo à sustentabilidade, os atuantes do campo precisarão passar por uma nova fase: o desenvolvimento técnico.

Afinal, da forma como percebemos, não há como negar: o futuro do campo será imerso em tecnologia. Para interagir com as novas ferramentas, os profissionais deverão ter familiaridade com o assunto, seja em áreas como a análise de dados ou, eventualmente, a programação.

Com a soma dessas competências, o produtor rural moderno estará equipado com todas as ferramentas que o colocarão em destaque no mercado, maximizando sua produtividade a um novo limite operacional, enquanto gasta e trabalha consideravelmente menos.

A importância dessa revolução para os produtores rurais

Ainda que apontemos a Agricultura 4.0 como o amanhã da atividade agrícola, é muito importante lembrar que todas essas tecnologias já estão disponíveis no mercado. Como exemplo, a Armac já oferece a locação de máquinas pesadas com dados de telemetria e monitoramento via satélite.

Além disso, já existe uma série de outras soluções tecnológicas, como softwares de acompanhamento dos parâmetros do solo, drones, sensores e tudo o mais que você possa imaginar. Agora, entenda os principais benefícios dessa nova etapa!

Produtividade

O primeiro grande ganho acontece no campo da produtividade. Com a automação de boa parte das etapas, como durante o trabalho das máquinas, as rotinas de pulverização e o monitoramento da condição das culturas, a operação se tornará mais independente da mão de obra contratada.

Por outro ponto de vista, o próprio acompanhamento da curva de desempenho dos equipamentos pesados também beneficiará a produtividade, pois antecipar e planejar seus eventos de manutenção acaba aumentando a disponibilidade do maquinário no campo, também contribuindo para o aumento da segurança no ambiente de trabalho.

Por último, mas não menos importante, a inteligência integrada no monitoramento e na tomada de todas as decisões aumentará o próprio volume de produção das lavouras, acarretando também o aumento do faturamento geral da operação.

Monitoramento

Como frisamos ao longo deste artigo, o futuro do campo é tecnológico. A cada dia, torna-se mais fácil centralizar os dados da sua produção rural na interface única de um software, em que você possa acompanhar as demandas de logística, produção, manutenção e caixa da sua atividade.

Otimização

Da forma como percebemos, a sustentabilidade é o conceito-chave para a nova revolução agrícola, sendo inclusive um forte vetor de orientação para todos os novos profissionais que entram nesse mercado. Isso significa que a sua operação rural conseguirá produzir com menos desperdícios, reduzindo perdas e realizando um aproveitamento cirúrgico dos recursos disponíveis, sejam naturais, financeiros, produtivos ou humanos.

Economia

No fim das contas, tudo isso se converte em redução de custos operacionais e aumento da margem de faturamento. É por isso que a Agricultura 4.0 não deve enfrentar muita resistência por parte dos produtores, pois os benefícios impactam diretamente a qualidade de vida e a estabilidade financeira das pessoas que atuam nesse setor.

Agora que você dispõe de uma boa noção sobre o assunto, aproveite para continuar atualizado sobre o futuro do setor produtivo brasileiro diretamente da sua timeline. Para isso, basta acessar e curtir nossa página no Facebook!

AS MELHORES MARCAS, O MELHOR SERVIÇO, E UM PARCEIRO QUE SEMPRE TEM O MELHOR PREÇO