Como funciona o mercado de máquinas pesadas para usinas sucroalcooleiras?

  • Usinas

Afinal de contas, como uma usina de açúcar e álcool pode se beneficiar da locação de equipamentos? Da forma como percebemos, essa é uma dúvida comum para muitas gestões, que ainda não foram impactados pelos benefícios da terceirização de máquinas para manter uma operação altamente tecnológica e produtiva.

Por isso, elaboramos este artigo. O nosso objetivo é apresentar uma visão completa sobre esse mercado. Aqui, você entenderá como a lei da oferta e demanda interfere no segmento, como ocorre a produção nesse setor, quais as máquinas mais importantes e muito mais. Então, não perca tempo e acompanhe!


Equipamentos para usinas de etanol e açúcar

Plantio, movimentação e alimentação de caldeiras


Como a lei da oferta e demanda interfere no mercado sucroalcooleiro?

Assim como qualquer outro segmento, o setor sucroalcooleiro também obedece à dinâmica básica dos mercados, que é a lei da oferta e da demanda. Esse conceito surgiu na teoria econômica de Adam Smith, que observou que quando se tem uma baixa oferta e uma elevada demanda, o preço do produto tende a subir.

E o contrário também é verdadeiro — com alta oferta e baixa demanda, o preço tende a cair. Em essência, esse mesmo princípio básico também vale para o segmento sucroalcooleiro. Mas além disso, também existem os ciclos da agricultura, que interferem diretamente no volume da oferta desses produtos no mercado.

Nos períodos de safra, há uma alta na oferta do produto no mercado, pois os produtores acabam de realizar suas colheitas com um máximo de produtividade. Por conta disso, o mercado é inundado com uma enorme quantidade de mercadoria (alta oferta), e isso tende a reduzir o seu valor de mercado.

Em contrapartida, o período de entressafra é o oposto. Esse é o nome dado para o intervalo pós-colheita de um determinado produto, período em que não há um grande volume dessa mercadoria sendo reposta no mercado (baixa oferta). Por conta disso, a escassez faz com que se aumente o valor de mercado.

Por fim, no início de 2020, a procura por etílicos disparou explosivamente, alavancada pela pandemia e pela busca incessante por produtos como o álcool em gel. Com esse aumento desbalanceado na demanda, sem alteração no volume da oferta, houve uma elevação temporária de preços.

Mas claro, essa teoria nunca pode ser interpretada de maneira isolada. Afinal de contas, todas essas variáveis de oferta, demanda e ciclo das culturas, também são acrescentadas por gatilhos políticos e econômicos que também podem interferir na composição do preço final, sobretudo em produtos recursos como o álcool.

Como ocorre a produção em uma usina de açúcar e álcool?

Como todo processo industrializado, é claro que existem centenas — e até milhares — de procedimentos que contribuem para a produção. No entanto, é possível resumir a operação de usina de açúcar e álcool a um fluxo complexo, porém, dinâmico. Abaixo, listamos cada direcionamento desse fluxo:

As 9 principais etapas do fluxo produtivo

Pesagem — é realizada a pesagem do material com balanças, e retiram-se amostras de matéria prima para a análise de qualidade;

Análise Química — o objetivo dessa etapa é quantificar o teor molecular de açúcar presente na matéria-prima, que é a cana de açúcar;

Mesa Alimentadora — recebe o material proveniente da lavoura e direciona para o preparo da cana;

Moagem — é realizada a separação do caldo e do bagaço e palha, que é o material lignocelulósico, por meio da moenda, na maioria dos casos;

Caldeira — o bagaço proveniente da moagem alimenta as caldeiras e, após o processo de queima, gera o vapor que promove a energia que alimenta a planta industrial;

Tratamento — é feito o aquecimento do caldo para torná-lo o mais “puro” possível, não levando assim, contaminação para a etapa de fermentação;

Fermentação — os microrganismos tratam o açúcar e o transformam na molécula de etanol;

Destilação — é realizada a purificação do etanol;

Carregamento — etapa logística de transporte do material para abastecimento ao cliente final. 

Quais indicadores utilizar para a avaliação do processo?

Basicamente, é possível dividir essas métricas em dois grupos:

  • os indicadores qualitativos avaliam a qualidade e a quantidade de açúcar contido no lote da cana de açúcar, como apontado na etapa dois — a análise química;
  • já os quantitativos, que são os principais indicadores, avaliam a produtividade total do lote da produção em questão. 

Quais as máquinas mais importantes nesse segmento?

Nesse setor, é possível segmentar pelas frentes de operação. Na frente agrícola, há atividades como o preparo de solo, a manutenção de estradas, plantios e colheitas. Para isso, empregam-se máquinas como os tratores agrícolas, motoniveladoras, pás carregadeiras, retroescavadeiras, escavadeiras hidráulicas e caminhões pipa.

Já na frente industrial, operações torta e cinza, ou com bagaço, tendem a exigir máquinas pesadas como as pás carregadeiras, os caminhões basculantes, e até mesmo empilhadeiras com garfos de big bags, para o carregamento e deslocamento do açúcar. Em comum, todos esses equipamentos estão presentes no portfólio Armac.

O papel da Armac como parceira de uma usina de açúcar e álcool?

Na Armac, dimensionamos a operação de acordo com a necessidade. Durante a entressafra, temos capilaridade para realizar tratativas sazonais com readequação do escopo de serviço, além de outras soluções. Na comparação com uma frota própria, as máquinas neste período ficam ociosas, ocasionando custos sem a geração de receita.

Além disso, nós podemos auxiliar na cadeia completa do fornecimento da prestação de serviços, desde a consultoria inicial para auxílio no dimensionamento do projeto, até a prestação de serviços de mão de obra e locação de equipamentos dentro do setor, buscando sempre o melhor custo-benefício para todos os envolvidos.

Também vale notar que nós trabalhamos com as mais variadas linhas de equipamento. Além da linha amarela, temos a verde (equipamentos agrícolas), caminhões, movimentação logística (empilhadeiras), PTA (plataformas elevatórias) e geradores.

Outro ponto de destaque é que o nosso suporte é realizado desde o primeiro contato, com o entendimento e o dimensionamento do escopo do projeto, conforme necessidade. Avançado esta etapa, temos a finalização contratual e implantação dos serviços.

Estes serviços (máquinas, operadores e mecânicos), podem ser realizados desde a entrega de um equipamento em determinada unidade até a montagem de uma estrutura completa de serviços dentro da operação, como a estruturação de oficina para mecânicos, área de vivência para funcionários, estoque de peças de reposição e outros, operando tanto na frente agrícola, como na frente industrial.

Quais os principais diferenciais da Armac para esse setor?

Excelência, reputação, suporte. Em essência, esse é o DNA da nossa marca, que nos trouxe até a liderança absoluta do mercado em termos de qualidade, satisfação e tecnologia. Abaixo, listamos uma lista completa dos nossos diferenciais de mercado:

  • suporte completo desde o primeiro atendimento, com dimensionamento conforme necessidade;
  • frota nova e revisada, com os principais equipamentos dos principais fornecedores do mercado;
  • atendimento nas mais variadas linhas e modelos, fornecendo soluções completas;
  • ampla experiência no setor, com mais de duas décadas de mercado;
  • atuação em todas as regiões do Brasil.

Como pode notar, a Armac é uma referência absoluta na locação de equipamentos para todo o mercado. Conosco, você moderniza a sua operação sem o custo da aquisição, extraindo apenas o que há de melhor em produtividade, tecnologia e resultado.

Agora que você sabe como podemos alavancar a produção da sua usina de açúcar e álcool, aproveite para dar o primeiro passo nessa direção. Para isso, basta acessar nossa página e entrar em contato!