Gestão e fiscalização de obras: o que é preciso saber sobre o tema?

  • Engenharia

Orçamentos apertados, prazos curtos e alta concorrência. Essa descrição é familiar? Pois bem, essa foi a nossa intenção ao descrever uma parte das tarefas de gestão e fiscalização de obras no cotidiano da construção civil, em que prestadores de serviço reavaliam sua atuação constantemente para, assim, ampliar tanto o faturamento como a produtividade.

A nossa tarefa é demonstrar a importância de uma boa gestão de obras, que atenda aos critérios da Lei de Responsabilidade Fiscal e que também consiga entregar resultados que conciliem custo, eficiência e qualidade. Vamos lá?

A importância da gestão de obras

Sobre essa questão, não existe muito segredo. Assim como qualquer área ou atividade que se pretenda gerenciar, o controle é uma forma de aumentar a previsibilidade das etapas e dos resultados. Ou seja, a importância central da gestão e fiscalização de obras é justamente garantir que as coisas saiam como o planejado.

De maneira simplificada, podemos resumir qualquer projeto de construção em duas etapas: o planejamento e a execução. A primeira fase elabora soluções, abordagens, orçamentos e tudo que seja necessário para projetar o andamento da operação.

Já na segunda fase, o projeto é posto em prática, com a aquisição de materiais, compra ou locação de máquinas, delegação da equipe e suas tarefas, trâmites burocráticos e por aí adiante — ou seja, a fase em que se põe a mão na massa.

No entanto, ainda que sejam etapas separadas, elas não podem ser desconectadas entre si. Afinal de contas, é a sincronia entre plano e execução que garante o respeito aos prazos, custos e expectativas do projeto, sendo fundamental na percepção da sua marca por quem o contrata.

É justamente aqui que a gestão de obras entra em ação. Muito mais ampla que a gestão estratégica de custos, a administração de uma obra requer capacidade de observação, liderança e foco. Em nossa visão, essa é uma tarefa multidisciplinar, exigindo que o gestor equilibre:

  • seleção, compra e acompanhamento da utilização dos materiais;
  • admissão, treinamento e conscientização da equipe de trabalho;
  • supervisão de todas as etapas, com a aplicação de feedbacks;
  • atenção aos limites, em questões de prazo e orçamento;
  • atribuição de responsabilidades aos colaboradores e muito mais!

As melhores práticas de gestão para atender à Lei de Responsabilidade Fiscal

Ainda que, inflexivelmente, não tenhamos qualquer relação com o setor público, seja por meio de contratos ou afins, entendemos que a Lei de Responsabilidade Fiscal costuma ser um recurso importante para muitos dos nossos clientes. Por essa razão, acreditamos que a gestão de obras possa ajudar nessa empreitada.

Oficializada na forma da Lei Complementar 101 de Maio de 2000, esse documento determina normas e condições para a aplicação de verbas públicas. Ou seja, para ser selecionado em uma licitação do setor público, será fundamental obedecer aos parâmetros dessa lei. Então, aproveite e confira as duas melhores dicas para ampliar o seu conhecimento sobre o tema!

Esteja sempre atento ao Tribunal de Contas da União

Atualmente, é do TCU a responsabilidade de fiscalizar e arbitrar sobre as garantias dessa lei. Por isso, é muito importante que você acompanhe as atualizações publicadas por esse órgão em sua cartilha de obras públicas, com todas as orientações necessárias para contratar e fiscalizar esse tipo de projeto.

Desenvolva um planejamento claro

Logicamente, não é possível vencer uma licitação na ausência de um planejamento transparente. Por isso, é fundamental elaborar essa projeção em um primeiro momento. Já durante a execução do projeto, o acompanhamento pode ser feito por meio de uma plataforma especializada em construções públicas.

As principais condutas de um bom gestor de obras

Agora, vamos para uma abordagem mais generalista. Em nossa história, marcada pela excelência na gestão de projetos, decisões e etapas, percebemos que todo bom gestor deve desempenhar três práticas centrais no canteiro de obras. Veja!

Observação

Na construção civil, tanto a negligência como a falta de atenção custam caro, seja pela queda da produtividade, seja por problemas relacionados à segurança no trabalho, em situações mais graves. Por isso, é fundamental se manter plenamente focado, atento a fatores como a postura dos colaboradores, a utilização dos materiais, a execução das etapas e tudo mais que possa ser avaliado, criticado e aperfeiçoado.

Orientação

Já aqui, entra a parte do feedback. De nada adianta, em sua cabeça, julgar que as coisas não estão indo como você espera sem que se tome uma atitude nesse sentido. Assim, essa é a característica que mais exige uma postura de liderança e respeito, pois você não deve apenas orientar os colaboradores sobre as práticas corretas, mas também precisa garantir que a mensagem foi entendida, sem nenhum atrito ou insubordinação.

Comunicação

Novamente, uma característica vinculada à liderança. Contudo, aqui não falamos apenas da amistosidade e objetividade com que você dirige a voz aos seus colaboradores, mas também da sua abertura em escutar o que eles têm para falar.

Até porque parte fundamental de uma boa gestão é enxergar pelos olhos dos outros, entendendo como as opiniões de quem trabalha na ponta podem beneficiar sua estratégia de construção. Muitas vezes, os próprios operadores elaboram meios criativos para a solução de um problema, seja na movimentação de cargas, na utilização de materiais ou em situações afins.

A importância de contar com um serviço especializado nessa gestão

Por último e, possivelmente, mais importante, vamos falar sobre a adoção da tecnologia aplicada! Em nossa opinião, essa é uma estratégia cada vez mais crítica em um setor tão competitivo como o da construção. Nesse sentido, caso você não se apoie nos benefícios da tecnologia, os seus concorrentes vão.

Por isso, frisamos que já existem muitas plataformas de gestão de equipes e custos para implementar no cotidiano das suas obras, com interfaces tanto mobile quanto web, garantindo o acompanhamento de onde quer que você esteja, seja com o celular na rua ou com o computador no escritório.

No fim das contas, o objetivo é melhorar o seu trabalho e não ficar para trás! E aí, você gostou deste post explicando a gestão de obras? Então, aproveite para se atualizar com outros conteúdos de qualidade, seguindo as nossas páginas nas suas redes sociais — nós estamos no Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter e YouTube!