A importância da logística agroindustrial no seu negócio

  • Agronegócio
  • Logística

A logística agroindustrial é uma parte fundamental para o bom funcionamento da cadeia produtiva. Qualquer atraso em algum dos processos acaba por atrapalhar outras ações posteriores, como a movimentação e o escoamento dos produtos. Assim, a gestão envolve as operações e o momento exato de executá-las, o que garante a produtividade e a normalidade no fluxo logístico.

A agroindústria exige uma logística bem planejada e desenvolvida, uma vez que lida com um grande volume de mercadorias. Nesse sentido, o gerenciamento de processos e atividades pede mais atenção — desde a intralogística até a armazenagem, o transporte, a distribuição e a entrega dos insumos.

Esse trabalho é dividido em 3 etapas integradas. Portanto, conheça cada uma delas a seguir e entenda como elas impactam os resultados e a produtividade do negócio.

Logística de suprimentos

A abrangência da logística passa por setores diversos, e um deles diz respeito aos suprimentos. Todas as áreas precisam entrar no mesmo fluxo, e a logística deve estar integrada. Destaca-se que a agroindústria tem suas complexidades devido à proporção da logística necessária para que tudo funcione adequadamente.

Desde o momento da colheita até chegarem às prateleiras dos mercados, os produtos passam por um longo processo. Nesse contexto, a logística de suprimentos da agroindústria procura por meios de reduzir os custos das produções, bem como os gastos de comercialização. Isso leva em conta o grande volume de cargas transportadas e seus prazos, de modo que haja mais produtividade e otimização do tempo.

Essa fase trata da matéria-prima e dos insumos. A logística de suprimentos diz respeito à organização, execução, aquisição e todo o controle de armazenagem e movimentação das cargas. Assim, o planejamento se torna um dos principais pilares, já que essa etapa cuida da gestão e definirá o resto da cadeia produtiva.

Logística das operações de apoio

Após a produção estar armazenada ainda dentro da propriedade, é hora de iniciar a transferência para os setores antes de os itens seguirem para seu destino final. Dessa forma, a logística de apoio trata do manuseio da mercadoria, como o transporte interno e as ações para armazenar e criar o estoque primário.

Dependendo do tipo de produto, essa fase costuma exigir bastante cuidado, pois o manuseio incorreto pode significar perda de insumos. Por isso, a utilização de maquinário adequado para movimentar a produção é essencial. Há ainda uma atenção especial à quantidade transportada, de forma que os estoques não fiquem sobrecarregados ou que faltem produtos.

Essa organização é de extrema importância para que, assim como a logística de suprimentos, os processos sejam realizados da maneira que gere mais economia — contudo, sem alterar a qualidade dos serviços. O desperdício é sempre motivo de cautela, pois gera prejuízos que muitas vezes poderiam ser evitados com simples alterações no gerenciamento de carga.

Para garantir o máximo de produtividade e aproveitamento, racionalizar cada um dos processos operacionais entrega resultados mais positivos. Esse controle também envolve informações e dados sobre o estoque e a quantidade de insumos. Assim, a administração é vital para manter a eficiência e o sucesso da logística.

Logística de distribuição

Os produtos agrícolas são perecíveis, ou seja, tem validade limitada. Nesse sentido, pela perecibilidade dos insumos, eles precisam ser levados ao destino final a tempo. Para cada tipo de produto, é dispensado determinado tratamento, já que eles têm diferentes características. Esses fatores fazem com que a logística de distribuição seja diferente para cada segmento, além de levar em consideração outros elementos, como as condições climáticas.

Para que a qualidade dos produtos seja assegurada, o manuseio, a armazenagem e o transporte devem ser cuidadosos e levar em conta alguns aspectos, como:

  • embalagens próprias para o transporte;
  • armazenamento adequado;
  • temperatura regulada;
  • controle da umidade do ar;
  • prazo de validade das mercadorias.

Quando não há um planejamento detalhado das etapas, o resultado é prejudicial. Portanto, é preciso considerar as especifidades dos materiais cultivados, pois qualquer falha gera atrasos na entrega e, consequentemente, perda de mercadorias.

A logística de distribuição é a etapa final, em que os insumos são encaminhados para as indústrias antes de serem comercializados. No entanto, isso só é possível quando as condições de armazenagem e movimentação de cargas forem cumpridas por meio de boas práticas operacionais. Isso é fundamental para evitar gargalos logísticos, principalmente nessa etapa final.

Consequências de não investir em logística agroindustrial

Por se tratar de uma grande e complexa estrutura, o agronegócio pode sofrer com impactos muito negativos quando não conta com uma boa logística — ou quando há um controle logístico mal executado e de baixa qualidade.

Para sair do campo e chegar à mesa do consumidor, os produtos passam por todas as fases logísticas. Com isso, o escoamento da produção precisa ser realizado com o máximo de rapidez, garantindo a qualidade da matéria-prima. Nesse contexto, o processamento e as operações só são efetivos quando há um bom maquinário de transporte, equipamentos adequados às necessidades e estoques estruturados, que tenham boa capacidade de armazenamento.

O ideal é buscar por opções mais baratas e, ainda assim, que agreguem valor aos serviços e sejam altamente eficientes. Por se tratarem de insumos perecíveis, quanto mais acelerados são os processos, maiores os ganhos — uma vez que a otimização é um aspecto positivo em todas as atividades. Assim, baixar o custo operacional e manter a qualidade elevada é um dos princípios do agronegócio.

Outro fator que merece destaque é a pontualidade de entrega, que é indispensável para atender às exigências de cada tipo de produto. Toda a cadeia produtiva pode ser afetada caso alguma das etapas de logística sofra atrasos, seja por falta de preparo adequado, problemas de viabilidade ou outras questões.

Como vimos, todas as fases da logística agroindustrial têm igual importância para o resultado e a lucratividade final. A cadeia produtiva é composta por operações interligadas, e qualquer falha nos processos influencia e compromete as demais atividades. Por isso, investir em componentes logísticos e equipamentos que agilizem os serviços com máxima segurança é primordial, o que de quebra ainda garante o sucesso do agronegócio.

Este post foi interessante para você? Então, siga nossas redes sociais e acompanhe mais conteúdos! Estamos no Facebook, YouTube e LinkedIn.

AS MELHORES MARCAS, O MELHOR SERVIÇO, E UM PARCEIRO QUE SEMPRE TEM O MELHOR PREÇO