Como calcular e otimizar o tempo médio de reparo?

  • Manutenção

O MTTR — ou tempo médio de reparo — é uma das métricas mais usadas na confiabilidade de sistemas de manutenção. Paradoxalmente, é também uma das mais incompreendidas — muitas equipes de operações não têm uma visão clara de como definir o MTTR, como usá-lo e como melhorá-lo de maneira consistente e sustentável.

Tais desconexões em torno do MTTR não são apenas inconvenientes, elas ameaçam seu resultado, sem mencionar o acréscimo significativo de custos, riscos e complexidade aos processos.

Neste artigo, nós explicamos como calcular o tempo médio de reparo e o que você deve fazer para melhorar essa métrica. Confira!


Locação de Equipamentos – Alugue Online

O equipamento ideal para o seu projeto aqui


O que é o tempo médio de reparo?

O tempo médio de reparo (MTTR) mede o período aproximadamente necessário para restaurar um ativo até suas capacidades operacionais plenas. Mas vale ressaltar que essa métrica não leva em consideração o lead time das peças. É uma medida básica da manutenibilidade de um ativo.

O MTTR ainda é útil para avaliar a eficácia dos planos e procedimentos de manutenção de uma organização, pois ajuda a entender quanto tempo levará para reparar ou substituir um ativo e se esse prazo faz sentido do ponto de vista do custo de propriedade e da continuidade dos negócios. Isso leva em consideração o tempo para:

  • notificar técnicos;
  • deixar o equipamento esfriar;
  • diagnosticar o problema;
  • corrigi-lo;
  • remontar, alinhar e calibrar o ativo;
  • configurar, testar e iniciar o ativo para produzir novamente.

Por que essa métrica é importante?

Como o MTTR mensura ostensivamente por quanto tempo os sistemas críticos para os negócios estão fora de serviço, é um poderoso preditor do impacto que um incidente terá nos resultados financeiros da empresa. Quanto maior o MTTR de uma equipe, maior o risco de que a organização sofra um tempo de inatividade significativo quando ocorrerem incidentes, levando potencialmente a interrupções e perda de receita.

Falhas são inevitáveis. Entender o MTTR dá às organizações uma ideia de quão rápida e eficiente elas podem esperar para solucionar tais erros e retornar as operações ao normal. No geral, as classificações de MTTR mais baixas são um sinal de um ambiente saudável e uma função positiva.

A realização de uma análise de MTTR pode fornecer informações sobre como sua operação de manutenção compra equipamentos, programa a manutenção e conclui tarefas. Por fim, ele ajuda sua empresa a melhorar a produtividade e a eliminar quaisquer ineficiências que causem perda de produção e o dinheiro perdido que vem com isso.

Como calcular o MTTR?

O tempo médio de reparo é calculado usando a seguinte fórmula: MTTR = Tempo Total de Reparo (em horas) / Número Total de Falhas, sendo:

  • tempo de reparo: o período necessário para restaurar a função de um ativo após o erro, reparando e/ou substituindo o ativo. Começa a partir do instante em que o ativo para de funcionar até o momento em que sua operação é restaurada;
  • falha: quando um ativo ou componente não consegue atingir seu desempenho esperado. Nem sempre significa que o ativo está inoperante, simplesmente que não está atendendo aos requisitos operacionais ou de qualidade.

Por exemplo, se você gastou 60 horas em manutenção não planejada para um ativo que quebrou oito vezes ao longo de um ano, o tempo médio de reparo seria de 7,5 horas.

O que é considerado MTTR de classe mundial depende de vários fatores, como o tipo de ativo, sua criticidade e a idade. No entanto, uma boa regra é um MTTR de menos de cinco horas.

O que significam os resultados

Um MTTR mais alto indica uma falha alta no tempo de recuperação funcional de um ativo. Geralmente, isso significa que há ineficiências no processo de reparo ou no próprio ativo. Um MTTR alto para um único ativo pode apontar a necessidade de mais treinamento para repará-lo, ou simplesmente mostrar que o ativo chegou ao fim de seu ciclo de vida útil.

Um MTTR mais baixo significa que o tempo de falha na recuperação é um período de conserto mais rápido e eficiente e, portanto, indica que há um processo de manutenção saudável em vigor.

Como usar o tempo médio de reparo para otimizar seu trabalho?

Além de conseguir calcular o MTTR, você também deve saber quais fatores o afetam e como eles podem ser melhorados para reduzir o período de reparação do ativo. Aqui estão algumas das principais dicas de como aplicar o tempo médio de reparo para otimizar seu trabalho.

Crie um plano de ação robusto para gerenciamento de incidentes

No nível mais básico, as equipes precisam de uma política de escalação clara que explique o que fazer se algo quebrar: para quem ligar, como documentar o que está acontecendo e como colocar as coisas em movimento para resolver o problema.

Treine toda a equipe em diferentes papéis e funções

Invista em treinamento cruzado para engenheiros para que possam assumir várias atividades e funções de resposta a incidentes. Há sempre a necessidade de especialistas em sistemas e tecnologias específicas, mas confiar demais em um punhado de especialistas é uma receita para o esgotamento — e a rotatividade de pessoal.

Outros membros da equipe devem desenvolver conhecimento suficiente para resolver a maioria dos problemas, permitindo que seus especialistas se concentrem nos incidentes mais difíceis e urgentes.

Encontre tendências e mapeie eventos futuros

Usando dados coletados por meio de uma análise MTTR, você consegue identificar padrões e prever eventos futuros. Se você perceber que certos tipos de máquinas apresentam níveis elevados de falhas consistentemente, pode empregar esse conhecimento para melhorar as medidas preventivas. Por sua vez, isso reduz a quantidade de trabalho necessária para solucionar avarias mais tarde na linha.

A técnica usada para examinar um ativo, processo ou projeto e determinar as possíveis maneiras pelas quais ele pode falhar é conhecida como Análise de Modo e Efeitos de Falha (FMEA).

Crie runbooks

À medida que você desenvolve procedimentos de resposta a incidentes e estabelece práticas de monitoramento e alerta, certifique-se de documentar tudo. Anote todo o processo e use essas notas para criar “runbooks” — documentação que informa à equipe exatamente o que fazer quando ocorre um problema específico.

Utilize runbooks para coletar o conhecimento dos funcionários sobre um determinado cenário de resposta a incidentes em um documento. Além de ajudá-lo a reduzir o MTTR, os runbooks são efetivos para treinar novos membros da equipe e são especialmente úteis quando colaboradores importantes deixam a organização.

O tempo médio de reparo é uma ferramenta para avaliar a qualidade das práticas e processos de manutenção de uma instalação. Também pode ser aplicado para investigar o valor e o desempenho dos ativos para que uma organização possa tomar decisões mais inteligentes sobre o gerenciamento de ativos. Ele é um ponto de partida para examinar a eficiência e eliminar redundâncias, obstáculos e confusão na manutenção, a fim de que uma empresa consiga evitar paralisações desnecessárias e volte a fazer o seu melhor.

Achou este artigo relevante? Curta a nossa página no Facebook e nos siga no LinkedIn para acompanhar outros conteúdos como este diretamente no seu feed!