Entenda os impactos da Internet das Coisas no supply chain

  • Inovação

A ideia de conexão dos objetos remonta a 1991, pois foi nesse ano que a TCP/IP e a Internet começaram a se popularizar. Já o termo “Internet das Coisas” (IoT, sigla em inglês) apareceu em 1999, proposto por Kevin Ashton. O conceito básico da IoT é conectar tudo à Internet de modo a facilitar o trabalho de todos. Isso será uma consequência da limitação de tempo e do dia a dia das pessoas.

A IoT representa, na prática, a união do mundo físico e do digital usando dispositivos que se comunicam uns com os outros, por meio de data centers e as respectivas nuvens. Isso pode agregar mais valor a todos os segmentos do mercado, aplicando máquinas inteligentes e operações mais rápidas.

Vale observar que há dispositivos modernos produzidos originalmente com suporte para IoT, capazes de manter comunicação com softwares que analisam os dados e até tomam decisões predefinidas. E no supply chain, a IoT também pode ser muito útil.

Continue a leitura para saber um pouco mais sobre esse assunto tão atual e importante para as empresas!

A IoT e o supply chain

A Internet das Coisas no supply chain pode melhorar o gerenciamento de estoques, o armazenamento de mercadorias e o transporte e otimizar a experiência personalizada de cada cliente. Podemos citar um exemplo em relação às melhorias no transporte: sabendo a localização exata de um veículo, a empresa consegue acessar o inventário e as informações em tempo real, monitorando com cuidado o processo.

Em alguns softwares, existe um dashboard de monitoramento, que é uma interface onde são visualizadas métricas e indicadores em tempo real. Isso representa um ajuste muito valioso no mercado moderno: o atendimento customizado.

O GPS, integrado à IoT, oferece mais detalhes sobre a ordem de pedidos, o histórico, os gastos extras, as expectativas, os planos e outras características. As informações, organizadas na nuvem, representam uma fonte única, permitindo que todos tenham acesso a ela ao mesmo tempo.

Um pedido pode ser registrado no sistema e enviado com a quantidade exata para os fornecedores. Na hora de receber os produtos, os responsáveis podem cadastrá-los pela tecnologia de radiofrequência (RFID), ou seja, etiquetas portadoras de microchips que identificam, individualmente, cada item, proporcionando mais rapidez à entrada e à saída dos materiais.

Em relação à linha de produção, líderes e colaboradores têm a oportunidade de otimizar cada etapa do processo de forma contínua. Encerrando, a empresa já se adéqua para o projeto seguinte, pois cada compra é efetuada sob demanda, possibilitando uma produção mais lean, o que significa mais produtividade aliada ao emprego de menos materiais e mão de obra.

A gestão fica centralizada em uma plataforma única e virtual. É possível consultar os materiais em tempo real, para isso basta um dispositivo móvel. As informações estão acessíveis a todos os interessados.

Os impactos da Internet das Coisas na indústria

A IoT já está trazendo novas transformações para o mercado da tecnologia. Indústrias e processos que abrangem a gestão de produção, como o supply chain, estão passando por relevantes modificações, especialmente no que tange a produtividade. A Internet das Coisas permite um detalhamento de dados que antes não era nem imaginado.

É possível a incorporação de sensores em todas as fases do ciclo de produção, por exemplo, o que torna mais fácil manter a demanda sob controle e analisar os processos. Desse modo, a indústria pode coordenar com efetividade as etapas, desde a gestão da matéria-prima até a venda. Vamos considerar alguns impactos da IoT nas indústrias nos tópicos a seguir.

O aumento na competitividade

Toda empresa deve definir ações que permitam modificar preços e fazer promoções conforme o movimento do mercado. Os processos relacionados à IoT possibilitam uma otimização no gerenciamento de logística e, consequentemente, a empresa pode fazer uma previsão do desempenho e melhorar a produção. A gestão conectada dos processos tende a confirmar o aprimoramento das estratégias de marketing, respeitando as demandas dos consumidores.

A automação fabril cria novos fluxos de receitas

Em muitos locais onde a mão de obra é muito cara, as empresas adotam equipamentos de automação que diminuem os gastos com a produção e ainda garantem mais segurança para os funcionários. Outros benefícios da automação envolvem a redução dos custos relativos à manutenção e do período de inatividade nas plantas.

Os impactos da IoT conforme as operações realizadas

Também podemos falar sobre os impactos da Internet das Coisas no supply chain conforme as operações realizadas. Por exemplo, no transporte inbound, as vantagens envolvem o rastreamento em tempo real e, por consequência, a previsão de chegada, bem como o escaneamento automático na hora de receber.

Já em relação ao transporte outbound, é possível citar os seguintes impactos positivos:

  • o rastreamento de produtos e veículos em tempo real;
  • o agendamento automático da manutenção da frota;
  • a previsão de transporte e a melhoria na roteirização;
  • o monitoramento das condições da mercadoria, como a temperatura, a umidade, a vibração;
  • o monitoramento das condições relacionadas à direção do veículo, como a segurança, a velocidade, o motorista.

Quando falamos na customização do atendimento ao cliente (customer service), podemos apontar:

  • a previsão das vendas colaborativas;
  • a atualização em tempo real do deslocamento e da entrega da mercadoria;
  • o monitoramento do consumo em tempo real;
  • o pedido automático para repor itens em estoque.

Sobre a armazenagem, é possível indicar benefícios como:

  • o gerenciamento automático dos estoques com conexão dos porta-paletes;
  • o rastreamento dos materiais em tempo real;
  • a reposição automática dos estoques com conexão dos porta-paletes com os fornecedores;
  • a identificação de danos;
  • o monitoramento do uso de equipamentos, como as empilhadeiras;
  • as medidas preventivas de acidentes por sensores;
  • a separação automática de pedidos;
  • a economia de energia elétrica;
  • a melhoria automática das rotas;
  • o agendamento automático da manutenção das máquinas conforme o desgaste delas.

A Armac e a Internet das Coisas no supply chain

A Armac, especializada na locação de equipamentos pesados e plataformas elevatórias, disponibiliza para seus clientes a Navimac, software exclusivo que permite o monitoramento da utilização dos equipamentos e dos relatórios mensais desse uso. A Navimac está diretamente ligada ao sistema de telemetria das máquinas.

A transformação digital e a conectividade já estão em curso, e os gestores devem acompanhar as mudanças para garantir sua competitividade. Assim, o supply chain se transforma em uma ferramenta altamente estratégica que otimiza a produção e as vendas. Nas indústrias, a Internet das Coisas está virando uma aliada fundamental, que reduz custos e aprimora os processos, aumentando a produtividade.

A integração representa melhor comunicação, além do ótimo acesso às informações e, como resultado, a conquista de processos e operações mais eficazes. Que tal aperfeiçoar ainda mais sua logística? Veja mais sobre logística integrada!

AS MELHORES MARCAS, O MELHOR SERVIÇO, E UM PARCEIRO QUE SEMPRE TEM O MELHOR PREÇO