Reforma predial: entenda o contexto vigente no mercado brasileiro

  • Reforma

Qualquer tipo de obra ou reforma pode apresentar riscos para as pessoas envolvidas. Entretanto, na reforma predial isso é mais evidente devido à magnitude da construção. Esse mercado oferece amplos serviços e, por ser essencial e garantir a segurança dos edifícios, tende a se desenvolver mesmo com quedas na economia nos últimos anos.

Buscando retomar um crescimento mais expressivo, o setor da construção civil e das reformas visa uma alta no mercado nos próximos anos. Apesar da recessão econômica, os reparos prediais não sofreram tanto, pois, são serviços exigidos e amparados por leis e normas, as reformas em prédios devem seguir as especificações do início ao fim dos serviços prestados.

Por isso, saiba mais sobre o mercado, o cenário atual da reforma predial no país e suas perspectivas!

Quais são as NBRs que regem o mercado de reformas e manutenção?

Cada setor da construção civil deve seguir exigências da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Assim, as reformas prediais não ficariam de fora e precisam seguir os padrões conforme as obrigatoriedades. Das pequenas manutenções até os grandes reparos, esses trabalhos têm especificidades exigidas e devem cumpri-las.

Seja para o dimensionamento dos espaços, materiais que devem ser utilizados e até as formas de uso, as normativas da ABNT não têm poder de lei, mas precisam ser seguidas à risca. Contudo, o não cumprimento impede o recebimento do selo de qualidade e segurança do órgão.

No Brasil, entre as principais regras estão a NBR 15.575/2013, NBR 5.674/1999 e NBR-16.280/2014. Conheça mais sobre cada uma delas:

NBR 15.575/2013

As edificações habitacionais têm características que prezam pelo conforto, segurança e estabilidade, o que pede uma estrutura especial. Nesse sentido, essa norma estabelece processos da construção que também devem ser seguidos nas reformas para prevenir-se de problemas como incêndios.

NBR 5.674/1999

Essa é a norma específica para manutenção e reforma em edifícios. Nela constam os requisitos para gerir projetos que evitem a depreciação dos prédios e seus sistemas, componentes e equipamentos, o que impede uma queda de desempenho. Desse modo, são determinados os procedimentos, que vão desde o planejamento anual até as atividades detalhadas que serão executadas.

NBR-16.280/2014

Para modernizar as antigas normas e melhorar a performance no setor da construção civil, em 2014 entrou em vigor a NBR-16.280, visando aperfeiçoar as NBR-15.575 e NBR-14.037. Durante a obra, o responsável garante a segurança tanto da edificação quanto dos usuários e do entorno. Do planejamento à execução e, após o encerramento da construção, é preciso seguir a legislação e o cronograma definido.

Como o mercado de reforma predial tem se desempenhado?

A indústria, assim como outros setores, sofreu baques nos últimos anos devido à crise econômica. Até o ano de 2018, a perspectiva era de crescimento, mas as quedas sucessivas no PIB da área mostraram que ainda não era o momento de recuperação. Porém, a partir de 2019, os primeiros sinais de retomada começaram a surgir.

Em 2020, as projeções mostravam que a realização de reformas prediais seria o setor que lideraria a recuperação da indústria na construção civil, impulsionado principalmente pela manutenção em prédios residenciais e habitacionais. No entanto, a crise do Coronavírus provoca uma diminuição nas reconstruções, o que impacta o mercado e adia esse crescimento para os próximos anos.

Qual é a perspectiva de crescimento do mercado para o próximo ano?

Segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), para o ano de 2020 era esperado um crescimento de cerca de 3% no mercado de construção civil. Entretanto, a pandemia do Coronavírus desacelerou o mercado em diversos segmentos, e a construção civil foi um deles.

As previsões indicavam um mercado mais aquecido em 2020. Porém, mesmo com um crescimento menor que o esperado, ainda é possível seguir caminhos alternativos, já que o setor não teve os serviços paralisados totalmente durante a pandemia. Por isso, esse é o momento para investir em inovações, como tecnologias digitais, inteligência artificial e máquinas e equipamentos mais modernos que otimizem os trabalhos.

Quais são as tendências tecnológicas que transformarão o mercado?

O aumento de produtividade e a busca por economia tem feito com que cada vez mais tecnologias surjam na construção civil. A eficiência e otimização em obras complexas são pontos que sempre merecem destaque, e diversas empresas podem aproveitar ferramentas tecnológicas para aperfeiçoar seus serviços. São desde aplicativos e softwares até maquinários mais modernos e inovadores que deixam a equipe mais produtiva.

Mais precisão durante a manutenção com a ajuda da tecnologia é outra vantagem apontada. Isso oferece maior segurança no trabalho, reduz o tempo de execução das obras, padroniza atividades e é capaz até mesmo de diminuir o retrabalho, o que é um aspecto positivo ao se pensar no custo-benefício de uma construção.

Como o uso de plataformas elevatórias pode ajudar?

As máquinas são fundamentais para a realização das reformas em prédios. A complexidade da execução de serviços pede não apenas profissionais capacitados, mas também um maquinário que auxilie nos procedimentos. O uso de plataformas elevatórias ajuda em variados momentos, assim podem ser encontrados modelos como a plataforma tesoura (pantográfica) e a articulada.

Os dois tipos de plataformas são usadas em manutenção. A plataforma articulada alcança até 43 metros de altura, e uma das vantagens de optar por ela é a sua elevação vertical e horizontal. Dessa forma, consegue chegar em pontos que outros maquinários não alcançam. Além disso, pode ser usada em áreas internas ou externas. A plataforma tesoura tem um alcance um pouco menor, perfeita para obras de pequeno e médio porte, e sua elevação é apenas vertical.

Pela versatilidade, agilidade e até mesmo por uma questão de segurança para evitar acidentes, os antigos andaimes podem ser substituídos pelas plataformas elevatórias. Esses equipamentos são soluções ideais para quem opera as máquinas e também para quem trabalha na plataforma.

Nesse contexto, há mais dinamicidade na obra, além de proporcionar uma reforma predial que seja mais rápida, segura e fácil de várias formas e em todos os processos. A construção civil tem mostrado mais oportunidades e um crescimento para os próximos anos, mas é preciso estar com as ferramentas necessárias para aproveitar do melhor modo esse período.

Gostou deste texto? Então aproveite para seguir as redes sociais da Armac: Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn.