Pontos de ancoragem: 5 questões de segurança!

  • Segurança

Seja em atividades com ou sem equipamentos que envolvam trabalhos em altura, a segurança é uma prioridade inegociável. Nesses cenários os pontos de ancoragem desempenham um papel fundamental, garantindo que os trabalhadores estejam protegidos e realizem suas tarefas com confiança.

Compreender os principais aspectos desses dispositivos é essencial para assegurar práticas seguras e evitar riscos desnecessários. Pensando nisso, neste artigo, apresentamos 5 questões de segurança fundamentais para você!

Continue a leitura e entenda!


Locação de Equipamentos – Alugue Online

O equipamento ideal para o seu projeto aqui


O que são pontos de ancoragem?

O ponto de ancoragem pode ser um aro, barra, ou qualquer outro ponto de circuito fechado e fixado em pontos estratégicos de edifícios ou uma estrutura de grande porte. Seu objetivo é servir de conexão confiável e segura para trabalhos em alturas elevadas em que o trabalhador precise, ou não, se movimentar horizontal ou verticalmente.

Por meio desse sistema de conexões integradas, ele desempenha um papel fundamental ao suportar as forças resultantes de quedas potenciais. Afinal, o trabalhador consegue manter sua estabilidade ao utilizar cordas e cabos de segurança.

Devido à sua importância crítica, os pontos de ancoragem não são apenas recomendados, mas obrigatórios, conforme estabelecido na Norma Regulamentadora 35.

Além disso, eles são imprescindíveis para a regulamentação das práticas de acesso por corda, garantindo a segurança dos trabalhadores envolvidos.

Quais são as questões fundamentais sobre os pontos de ancoragem?

Para você entender mais sobre o funcionamento dos pontos de ancoragem, a seguir, explicamos 5 aspectos fundamentais sobre o equipamento.

1- Principais equipamentos usados para proteção

Os equipamentos utilizados para proteção em atividades que envolvem pontos de ancoragem são essenciais para garantir a segurança dos trabalhadores em altura. Os principais são:

  • cinto de segurança: um componente-chave, pois mantém o trabalhador conectado ao ponto de ancoragem, prevenindo quedas;
  • cordas: desempenham um papel vital, permitindo que os trabalhadores se movimentem com segurança enquanto estão suspensos;
  • conectores, como mosquetões e ganchos: são usados para unir diferentes partes do equipamento, garantindo a solidez e a confiabilidade das conexões.

Além disso, dispositivos retráteis são empregados para permitir movimento, enquanto mantêm a tensão na corda, recolhendo o excesso conforme necessário.

2- Como são definidos os pontos de ancoragem?

A definição dos pontos de ancoragem é um processo meticuloso que envolve a expertise de engenheiros e profissionais de segurança. Eles são cuidadosamente selecionados e projetados com base em vários fatores, como a estrutura do local, o tipo de trabalho a ser realizado e as forças envolvidas.

A localização dos pontos busca cobrir a área de trabalho e minimizar o potencial de quedas. Esses pontos devem ser conectados a superfícies sólidas e estáveis, como vigas de aço ou estruturas de concreto, para dar segurança aos trabalhadores. Além disso, eles são projetados para suportar cargas estáticas e dinâmicas, calculadas de forma apropriada para garantir resistência e prevenir falhas.

3- Como inspecionar os pontos da ancoragem?

A inspeção regular dos pontos de ancoragem é uma etapa crítica para garantir a segurança dos trabalhadores. Antes de cada uso, é fundamental realizar uma inspeção visual cuidadosa.

Isso envolve examinar a integridade dos pontos de ancoragem em busca de sinais de danos, corrosão ou desgaste excessivo. Os conectores também devem ser verificados, para que se encaixem de maneira adequada.

Além das inspeções que antecedem o uso, é necessário realizar inspeções mais detalhadas periodicamente, seguindo as orientações do fabricante e as normas de segurança.

Qualquer indício de problema identificado durante a inspeção deve ser tratado imediatamente, seja por meio de reparos adequados ou pela substituição do ponto de ancoragem.

4- Qual é a carga mínima?

Geralmente, os pontos de ancoragem são projetados para suportar pelo menos 22 kN (quilinewtons) de carga, o que é equivalente a aproximadamente 2.240 kg de peso.

Essa carga mínima assegura que o ponto de ancoragem seja capaz de suportar forças significativas resultantes de uma queda. É fundamental respeitar essa capacidade de carga, a fim de garantir que o equipamento funcione conforme o esperado e que os trabalhadores estejam seguros durante suas atividades em altura.

5- Como são realizados os testes?

Esses testes envolvem submeter os pontos de ancoragem a situações controladas para avaliar sua resistência e durabilidade.

Isso inclui testes estáticos, nos quais cargas são gradualmente aplicadas até que o ponto de ancoragem atinja sua capacidade máxima de suporte, além de testes dinâmicos, que simulam uma queda real para verificar a capacidade do ponto de ancoragem de absorver o impacto de forma segura.

Esses testes seguem padrões rigorosos definidos por normas de segurança e são conduzidos por profissionais experientes, a fim de garantir que os pontos de ancoragem atendam aos requisitos antes de serem disponibilizados para uso.

Como garantir a segurança dos trabalhadores em altura?

Garantir a segurança dos trabalhadores em altura utilizando pontos de ancoragem requer uma abordagem abrangente e cuidadosa. Aqui estão algumas medidas essenciais nesse cenário.

Seleção adequada dos pontos de ancoragem

Escolher pontos de ancoragem confiáveis e certificados é fundamental. Certifique-se de que eles sejam adequados para o tipo de trabalho e de que estejam instalados em estruturas sólidas e seguras.

Treinamento e conscientização

Forneça treinamento completo aos trabalhadores sobre o uso adequado dos pontos de ancoragem e de todo o equipamento de segurança associado. Eles devem entender como conectar-se, desconectar-se, mover-se com segurança e reagir em situações de emergência.

Inspeções regulares

Realize inspeções antes de cada uso dos pontos de ancoragem, bem como inspeções mais detalhadas em intervalos regulares. Verifique visualmente a integridade dos pontos de ancoragem, suas conexões e os equipamentos envolvidos, buscando por sinais de desgaste, danos ou corrosão.

Uso correto de equipamentos de proteção individual (EPIs)

Certifique-se de que os trabalhadores utilizem os EPIs adequados, como cintos de segurança, capacetes, luvas e calçados de proteção. Esses equipamentos devem estar em bom estado. Ainda, precisam ser ajustados corretamente e ser compatíveis com os pontos de ancoragem utilizados.

Por fim, priorize a segurança em trabalhos em altura ao adotar medidas sólidas. Escolha e inspecione cuidadosamente os pontos de ancoragem, fomente uma comunicação eficaz, planeje com atenção e ofereça supervisão especializada. Além disso, mantenha a conformidade com a NR-35, que orienta práticas seguras em atividades em altura. Com essa abordagem, você cria um ambiente adequado, evita acidentes e garante a proteção dos envolvidos, mantendo a integridade e o bem-estar no centro das operações.

Agora que você se aprofundou no assunto, continue seu aprendizado e confira as informações mais completas a respeito da NR-35!

Gerar oportunidades e desenvolvimento para um mundo cada vez mais produtivo e sustentável