Quais são os 5 principais indicadores de qualidade agrícola?

  • Agronegócio

Com o avanço da tecnologia, fica muito mais fácil traçar metas e objetivos de produtividade no agronegócio brasileiro. E alguns indicadores de qualidade são fundamentais para transformar essas metas em resultados.

Esses indicadores de desempenho (KPIs – Key Performance Indicator), podem ser aplicados tanto na mensuração de produção total, quanto em cada processo, com um controle e monitoramento que permitem melhorias e tomadas de decisões inteligentes.

E você, sabe quais os indicadores de qualidade agrícola mais indicados para o seu negócio? Continue a leitura e entenda como orientar seu negócio através dos principais KPIs agrícolas!


Aluguel de máquinas para o agronegócio!

Máquinas para plantio, colheita e transporte


O que são indicadores de qualidade agrícola?

Os indicadores de qualidade agrícola consistem em recursos capazes de medir a produtividade e o desempenho das atividades de agronegócio — do plantio até o envio. Com esse sistema de gestão é possível acompanhar o desempenho do negócio e estabelecer melhorias fundamentais para o aumento da rentabilidade, segurança do negócio e um melhor posicionamento no mercado competitivo.

Para o agronegócio brasileiro, competitividade está associada à qualidade. E é por isso que aspectos de base, como tecnicalidades do solo, cumprem papel chave em um cenário de produção rentável. O solo argiloso, por exemplo, é excelente para esse setor, pois dá acesso a uma maior gama de minerais, enquanto oferece uma boa absorção de água por parte da semente. No entanto, existem outros tipos de solo que não são tão apropriados para certos tipos de cultivos, como o arenoso.

É por isso que os indicadores de qualidade são tão necessários para compreender as propriedades e características físicas, químicas e biológicas do solo. Somado a isso, um constante monitoramento cria parâmetros para avaliar mudanças e necessidades de preparo da terra, e do ambiente como um todo, para uma produção mais satisfatória.

Mas os indicadores de qualidade não são utilizados somente no solo. A seguir, você vai saber mais sobre os indicadores e conhecer novas referências para a mensuração das métricas obtidas por este controle.

Quais são os 5 principais indicadores de qualidade do agronegócio?

Para medir o desempenho, rentabilidade e a qualidade da sua produção, os principais indicadores são:

  • potencial de produção rural;
  • capacidade de produção por sacas ou toneladas;
  • sazonalidade (produtividade por períodos);
  • volume de fertilizante e de defensivos utilizados;
  • controle do consumo de água em relação à produtividade.

A partir desses dados é possível fazer uma análise mais completa do desempenho agrícola e preparar um ambiente mais propício ao cumprimento da produtividade prevista.

Como mensurá-los?

A gestão agrícola gera dados completos de produtividade e pode ser aplicada em todo o setor agrícola, seja ele de cafeicultura, de produção de algodão ou qualquer outro produto. Para mensurar os indicadores de produtividade, a análise deve observar:

  • as taxas de aumento da produção;
  • o potencial estimado da produção;
  • a quantidade de fertilizante utilizado por área;
  • a quantidade de água necessária em todo o processo de cultivo.

Por outro lado, os indicadores administrativos consideram dados como:

  • idade do plantio;
  • taxa de ocupação;
  • quantidade de plantas por hectares;
  • eficácia da mão de obra utilizada para os processos de cultivo.

Quais os indicadores financeiros de uma propriedade rural?

E com o sistema adequado para o seu agronegócio é possível trabalhar com indicadores de desempenho das finanças, ampliando a visão do negócio por meio de métricas relevantes e com dados precisos. O indicador de finanças permite:

  • acompanhar a rentabilidade da empresa;
  • controlar de forma mais eficiente o fluxo de caixa;
  • avaliar a evolução dos investimentos do negócio;
  • mapear investimentos em ativos (aquisições e locações);
  • compreender, controlar e monitorar os dados de custos fixos e de custos variáveis.

A análise de todos os dados e informações coletados pelos indicadores de qualidade do agronegócio favorece a identificação de melhorias a serem realizadas. São representações confiáveis e precisas sobre o desempenho da produtividade e o acompanhamento da evolução dos processos no decorrer dos períodos de cultivo.

Que fatores afetam os indicadores de qualidade agrícola?

Em relação aos indicadores de qualidade agrícolas, é necessário considerar fatores como a produtividade e o potencial de produtividade. Alguns fatores podem afetar os indicadores de qualidade, como:

  • o preparo do solo;
  • os insumos utilizados no plantio;
  • as técnicas de manejo de plantas daninhas;
  • falha nas tecnologias e automatizações;
  • a mão de obra;
  • os investimentos financeiros.

Ou seja, a escolha de técnicas, ferramentas, mão de obra e investimentos podem, não só agregar valor ao produto e serviço, mas também garantir a saúde do negócio ao longo prazo. Racionalizando os custos por meio de atividades e alocação de recursos mais eficientes.

Qual o papel de máquinas e equipamentos na manutenção positiva dos indicadores?

O avanço da tecnologia no agronegócio é um diferencial para as atividades de campo, tornando os processos mais ágeis e rentáveis para o produtor. O trator agrícola, por exemplo, desempenha função muito útil para fazer reboques, puxar ou empurrar implementos no campo, lavrar, realizar técnicas de gradagem para o preparo do solo etc.

As máquinas e os equipamentos utilizados nas atividades de agronegócio contribuem para as análises de indicadores de qualidade, pois estimulam o aumento da produção em um custo-benefício mensurado por quantidade, qualidade, tempo e custo.

Dentre as máquinas, equipamentos e implementos mais presentes nos processos do agro, os que merecem maior destaque são:

  • Trator de rodas: de extrema utilidade, ele realiza diferentes tarefas como a aragem, descompactação do solo, movimentação de carreta agrícola, escarificação, reboque etc. Justamente por isso, é aplicado do preparo do solo à colheita da lavoura.
  • Semeadora: este implemento é responsável pela introdução das sementes no solo arado. Em geral, fica acoplado ao trator de rodas;
  • Plantadeira: diferentemente da semeadora, a plantadeira atua na disposição das culturas já em fase vegetal. Ou seja, aplica bulbos, mudas, tubérculos e afins diretamente no solo;
  • Pulverizador: atua na aplicação de defensivos agrícolas no plantio. A aplicação pode ser feita acoplada a um trator ou de forma aérea, com uso de drones, por exemplo;
  • Colheitadeira: tradicional e de grande porte, é utilizada na última etapa do ciclo agrícola. É preciso, no entanto, se atentar aos variados modelos que atendem a diferentes culturas como trigo, algodão, cana de açúcar, soja, café etc.

Em suma, as máquinas e implementos agrícolas contribuem para todas as etapas de produção e isso, além de agregar valor para a empresa, promove maior agilidade para os períodos de safra. A redução dos custos de mão de obra é outro fator vantajoso para o produtor, sem contar que diminui os desperdícios e as possibilidades de falhas que geram perdas e impacto ambiental.

Como foi possível observar, a tecnologia oferece ferramentas importantes para o desenvolvimento agrícola em todas as suas etapas de produtividade. Na questão dos maquinários, desempenha grande importância para os processos de cultivo e safra em larga escala e em relação aos indicadores de qualidade que permitem a coleta de dados precisos para ações mais inteligentes e certeiras.

Se você gostou deste conteúdo, acompanhe nossas redes sociais! Estamos no Instagram, no Facebook, no Twitter, no YouTube e no LinkedIn!