O que é a Curva S e qual seu papel na construção civil

  • Engenharia

O que não pode ser medido não pode ser gerenciado, não é verdade? Portanto, cabe aos gestores buscarem métricas, indicadores, gráficos e relatórios para apresentar e acompanhar o andamento de seus projetos. E uma das maneiras de colocar isso em prática é por meio da chamada “Curva S”.

Com esse modelo de representação gráfica, o gestor consegue identificar quais são os contrastes e os desvios de percurso, comparando a projeção com a execução. Isso significa que a Curva S se baseia na apresentação de todo ciclo de vida de uma ideia. Com análise de seu histórico, a Curva S possibilita que o gestor antecipe os problemas e avalie as tendências.

A análise gera mudanças rápidas e pontuais, tratando os contratempos na raiz, a partir de intervenções em caso de comprometimento de custos ou atrasos capazes de comprometer o andamento do projeto e a eficiência operacional. Ao longo do post, vamos entender detalhadamente o que é Curva S, as vantagens de utilizá-la e como aplicar em seu projeto. Confira!

O que é Curva S?

A Curva S nada mais é do que um documento que permite ao gestor gerenciar um projeto por meio da análise de um gráfico. O conteúdo traz dados facilitadores da avaliação da relação entre o que foi planejado e o que foi entregue.

Baseando-se na observação desse documento, o gestor passa a ter um maior controle sobre o andamento do projeto e avalia se cada etapa está acontecendo conforme o cronograma definido previamente.

Por ser um documento visual e gráfico, os desvios são identificados de forma clara e transparente, simplificando a relação entre teoria e prática. Com uma análise do histórico e do status atual, fica mais fácil a identificação das tendências, dos gargalos e dos demais resultados que contribuem para todo o ciclo de vida do projeto.

Uso da letra “S” como símbolo

Um bom gestor sabe que os projetos que envolvem a construção civil passam por oscilações, com altos e baixos durante a sua execução. Esses movimentos são influenciados por fatores internos e externos, como os objetivos do projeto, orçamento, prazos, recursos de mão de obra etc.

Em geral, nas fases iniciais dos projetos de construção civil o volume de trabalho tende a ser bem menor do que nas etapas seguintes. Isso faz com que os valores acumulados provoquem a criação de um gráfico em formato de “S”.

Por que devo utilizar a Curva S nos projetos de engenharia?

A utilização da Curva S em projetos de engenharia pode trazer uma série de diferenciais. Dentre eles, podemos destacar a possibilidade dos gestores terem um panorama completo de todas as fases de uma implementação de projeto — dos estágios iniciais de planejamento à última etapa de execução.

Por se tratar de um documento versátil, a sua aplicação é plausível desde os projetos mais simples até os de maior complexidade. Veja abaixo outros benefícios que a Curva S entrega ao ramo da construção civil, quando bem avaliada.

Facilita a previsibilidade de custos

O uso da Curva S favorece a visualização mais eficiente dos custos e dos trabalhos que serão executados em cada etapa. A junção dessas duas variáveis facilita a análise da obra como um todo, gerando uma base de dados que amplia a capacidade preditiva de gastos para os próximos projetos.

A partir desses dados se torna possível, por exemplo, analisar informações importantes sobre o projeto. Elas permitem a sua otimização, como o cálculo homem-obra, o emprego inteligente de recursos, sem desperdícios, e o número de serviços realizados.

Permite a redução da margem de erros

Ao aumentar a previsibilidade, permitindo a antecipação de eventuais problemas, o gestor que utiliza a Curva S reduz consideravelmente a margem de erros de seu projeto. Tudo isso por meio da análise de cada nuance da curva tracejada, ou seja, de forma visual.

A partir do formato da curva, o gestor consegue ver o que está caminhando de acordo com o esperado, o que precisa de reajustes e o que anda acima das expectativas. Ou seja, o permite elaborar um planejamento cada vez mais assertivo.

Como aplicar a Curva S?

Agora que já conferimos a parte conceitual e as vantagens da utilização da Curva S, vamos entender como esse processo pode ser aplicado de maneira prática no planejamento de um novo projeto de engenharia.

Para começar, os gestores precisam definir a sua baseline — o número de estruturas que colocam os parâmetros sobre tudo que será executado em cada fase da obra. Após a definição da base, traça-se uma nova linha no gráfico para expor os processos colocados em prática.

É a partir dessas linhas que os gestores acompanham tudo o que foi previsto e o que está sendo realizado para cumprir os parâmetros preestabelecidos. A diferença comparativa recebe a nomenclatura de boca de jacaré, devido ao seu formato característico — uma “boca do jacaré” muito grande, por exemplo, quer dizer que a conclusão do projeto se encontra em estágio atrasado.

Daí vem uma das aplicações mais tradicionais da Curva S em projeto de engenharia — a possibilidade da rápida identificação de que o andamento está em atraso, e o que deve ser feito para que o efeito de boca de jacaré sofra uma necessária diminuição.

Esperamos que, após a leitura deste post, você tenha entendido o que é Curva S e sua importância para a otimização dos projetos. Nesse processo, a meta precisa consistir em ampliar cada vez mais o nível de exigência de sua gestão na construção civil, por meio de análises de dados sólidos, que permitam o aumento de produtividade, a redução de erros e a melhoria contínua.

Com os sistemas de gestão ganhando eficiência constante e a enormidade de dados que são produzidos e coletados em um projeto de construção civil. Não utilizar essas informações como base da gestão significa perder uma grande vantagem competitiva e produtiva.

Gostou do post? Então compartilhe nas redes sociais com seus amigos e colegas de trabalho, contribuindo para um ambiente de gestão cada vez mais otimizado e repleto de tomadas de decisão baseadas em dados!