Afinal, qual a importância de um cronograma de obras? Veja agora!

  • Engenharia
  • Gestão

Desenvolver um projeto de construção civil é um processo complexo, mas é o início de todo o trabalho que será feito. Naturalmente, para o resultado que é pensado, deve haver um planejamento capaz de definir em quanto tempo tudo precisará ser concluído. O cronograma de obras é a ferramenta essencial que garante produtividade e cumprimento de prazos.

Não está em jogo apenas a necessidade de entregar um projeto completo dentro de uma data limite. O cronograma é essencial também para que os recursos sejam limitados ao que é necessário, sem gerar mais custos gerais. Além disso, um planejamento adequado assegura uma execução de qualidade, respeitando as etapas de uma obra.

Neste conteúdo trataremos em detalhes sobre o cronograma, sua importância e como ele deve ser desenvolvido. Confira!

O que é um cronograma de obras?

O cronograma de obras é um documento que detalhará o progresso de um projeto de construção civil, de acordo com as etapas necessárias, considerando a execução delas em determinado período. Ele deve se basear em uma data limite, ou seja, um prazo de conclusão para, então, definir como será o calendário de ações que garantirá que tudo seja concluído a tempo.

Para estabelecer um calendário, é necessário, primeiramente, estimar a duração de cada etapa do projeto. Naturalmente, isso varia conforme o tamanho e o nível de complexidade da obra, não sendo possível precisar esse período sem antes estudar a estrutura analítica do projeto. Para isso, profissionais devem realizar análises técnicas para entender — em um “passo a passo” — como será o processo.

O engenheiro responsável é a figura central na hora de determinar como será a programação de execução da obra. Para isso, ele poderá consultar uma equipe técnica, formada por engenheiros assistentes, arquitetos e outros profissionais qualificados envolvidos no projeto. Assim, há uma perspectiva mais completa, considerando todos os esforços envolvidos.

A estimativa deve ser pensada com margens que garantam a cobertura de qualquer tipo de imprevisto, afinal, algo pode acontecer. Um cronograma de obras é, além de um recurso técnico, uma ferramenta de gestão do trabalho a ser executado. Quando a construtora, ou empresa envolvida, é capaz de cumprir tal prazo, ela garante a solidificação da sua imagem no mercado.

Tecnologia como aliada nesse trabalho

Plataformas de gestão automatizadas estão presentes em cada vez mais segmentos de trabalho, e isso não é diferente na construção civil. Hoje, engenheiros têm à disposição plataformas que o permite elaborar um cronograma digital com profundidade de informações e ilustrações exatas de cada etapa. Assim, é mais fácil compartilhar entre time técnico e gestores responsáveis.

Essas ferramentas solicitam o preenchimento de tarefas executadas em cada etapa, o que deve ser feito de maneira detalhada pelo engenheiro. Com isso aplicado, o próprio software constrói um fluxo de trabalho de fácil entendimento e de grande organização, de forma automática. O resultado traz uma visualização simplificada e altamente precisa de como as etapas serão conduzidas.

Esse cronograma digital é bastante versátil, pois permite incluir outros profissionais responsáveis para cada trabalho que será executado no projeto. Assim, todos os envolvidos podem acessar o mesmo gerenciamento de projetos, entendendo exatamente suas responsabilidades na obra — através da lista de atividades —, o tempo que terão para concluí-las e como elas impactarão o planejamento do cronograma de obras.

Estudo de viabilidade econômica como parte do cronograma

É fundamental que o engenheiro responsável saiba que o estudo de viabilidade econômica do projeto é decisivo para que o cronograma de obras seja concretizado com perfeição. Todo projeto tem um custo, o que também vai impactar o tempo de conclusão dele. Por isso, antes mesmo de pensar em prazos, é fundamental saber quanto será despendido para que a ideia seja transformada em algo concreto.

O estudo de viabilidade financeira também definirá qual é o orçamento total disponível para o projeto, e isso vai influenciar tudo que virá depois, incluindo o cronograma. Quanto mais tempo uma obra dura, mais ela gera custos para a empresa responsável. O dinheiro é direcionado ao aluguel de equipamentos, pagamento de operários, aluguel de contêineres, entre outras questões.

De forma geral, as categorias de custos de uma obra são:

  • aquisição do terreno;
  • aluguel de equipamentos e ferramentas;
  • custos de publicidade;
  • de mão de obra;
  • custos de impostos;
  • custo de aquisição de materiais.

Esses e outros níveis de despesas precisam estar devidamente estipulados no planejamento. Isso vai afetar diretamente o cronograma de obras, e será necessário se adaptar a ele para não gerar gastos extras.

Qual a importância de estabelecer um cronograma?

Um bom cronograma de obras é capaz de trazer resultados realmente relevantes ao planejamento e, consequentemente, à execução do projeto de construção civil. Da questão financeira à produtividade, tudo pode ser otimizado e melhor gerido, se há um cronograma guiando as etapas de trabalho. A seguir, veja como essa ferramenta é importante para as obras.

Entregar a obra no prazo

Cumprir prazos é uma obrigação em qualquer área de trabalho, e não é diferente na construção civil. Obras tendem a ter um tempo maior, mas isso não necessariamente significa algo demorado. O prazo deve ser definido de acordo com o nível de complexidade do projeto, os trabalhos que precisarão ser realizados, quais atividades devem ser priorizadas, o número de operários disponíveis, entre uma série de outros fatores.

Com um estudo determinado, o engenheiro responsável tem de saber responder qual é o prazo máximo de entrega da obra, e isso vai influenciar a maneira como o cronograma é desenvolvido. Ele deve considerar todas as etapas, as margens de atraso e o tempo de execução de cada trabalho necessário no empreendimento. Com esse planejamento certeiro, é possível cumprir os prazos.

Respeitar o planejamento financeiro

O cronograma de obras também é desenvolvido com base no orçamento disponível. Se um projeto se estende demais durante a sua execução, consequentemente haverá maiores custos com aluguéis de equipamentos, contratações e despesas com materiais. O cronograma ajuda a estruturar o planejamento de etapas e suas execuções, sem que haja prolongamento excessivo de alguma delas.

Mesmo os trabalhos mais demorados e complexos precisam ser detalhados durante o cronograma, definindo em quanto tempo eles deverão ser concluídos e o quanto vão custar. Margens para cima são sempre um bom recurso, já que garantem que haja um intervalo mais confortável para conclusão. No geral, quanto maior for o detalhamento do planejamento, menos chances de estourar o orçamento.

Programar compras e contratações

A equipe administrativa também depende do cronograma de obras para cumprir suas obrigações em uma obra. Todo projeto demanda contratações e compras, e isso precisa ser feito no momento certo, a tempo para que cada etapa de trabalho seja conduzida. Só é possível ter organização nessas demandas, se há um planejamento bem-definido.

O cronograma ajuda a estipular o tempo de duração das obras, por exemplo. A partir disso, a contratação dos operários e de outros profissionais pode ser feita pelo tempo certo. Outro ponto importante é o aluguel de máquinas e compra de materiais de construção. Tudo deve ser fechado a tempo, seja antes do início da construção, seja entre uma etapa e outra do trabalho.

Garantir um padrão de trabalho

O cronograma é essencial ainda para estabelecer um sistema de execução das demandas que possa ser repetido em cada novo projeto que a empresa iniciar. A padronização é uma conquista importante que demandará apenas ajustes específicos necessários de um projeto para o outro, mas que tem uma base de trabalho sólida por trás.

Padronizar também ajuda a determinar um ciclo de trabalho importante, seja em campo, com a execução da obra propriamente dita, seja no setor administrativo. Assim, todos os colaboradores envolvidos saberão como o fluxo de trabalho acontecerá, o que vai resultar em mais produtividade e uma otimização de todas as obrigações envolvidas em uma obra.

Manter a produtividade dos operários

O cronograma de obras determina quando cada etapa do projeto precisa ser iniciada e concluída. Isso significa que há uma necessidade de atender a esses prazos, já que o começo de uma atividade só acontece quando a anterior é finalizada. De modo geral, um cronograma impõe aos trabalhadores obrigações no sentido de manterem seus níveis de produtividade altos.

Cronogramas não podem ser apenas estimativas. Eles são resultado de um planejamento detalhado e elaborado a partir de estudos técnicos complexos. Quando esse calendário é definido, há muitos fatores que podem ser impactados negativamente, se ele não for cumprido. Por isso, o cronograma é fundamental para gerar a ideia de responsabilidade nos trabalhadores.

Garantir um trabalho qualificado

Ao mesmo tempo em que assegura mais dinamismo e produtividade, o cronograma de obras também determina quando e como cada etapa deverá ser efetuada. Na prática, isso significa que há dedicação total de foco e esforços para cada um desses momentos. Especialmente em tarefas mais complexas da construção civil, esse direcionamento exclusivo é altamente necessário.

Estamos falando de um setor que não admite erros ou baixa qualidade no resultado de projetos. Para conseguir um trabalho qualificado, são indispensáveis foco, tempo e aplicação das técnicas corretas. Por isso, o cronograma se torna imprescindível ao estabelecer exatamente quais períodos serão inteiramente dedicados a essas fases mais críticas do projeto.

Gerenciar riscos

Riscos também integram o projeto de construção civil, e eles podem ser melhor geridos se há um cronograma voltado a elencá-los. Em cada fase de trabalho, tais possibilidades devem ser devidamente listadas, o que ajudará o engenheiro responsável a entender como alguns fatores podem prejudicar o andamento do projeto em questão.

Um trabalho de redução de riscos começa pela identificação deles. Se o cronograma os relaciona adequadamente, existe um trabalho de controle maior, inclusive no que diz respeito a prazos. Qualquer falha, operação malsucedida ou erro que leve a problemas pode ser previsto, ao menos em sua possibilidade, o que permite lidar com o problema sem prejudicar o progresso do projeto.

O que o cronograma de obras deve conter?

Um cronograma de obras, para ser útil ao projeto, precisa conter todas as etapas básicas de um empreendimento tradicional de construção civil. A seguir, confira quais são cada uma dessas fases indispensáveis ao cronograma e quais trabalhos estão programados em cada uma delas.

Trabalho preliminar

Esse é o momento administrativo inicial de uma obra. É em tal fase prévia que deverá ser realizada a contratação de funcionários, locação de equipamentos e de ferramentas gerais. Na prática, trata-se de uma etapa de preparação para tudo que será realizado nas próximas semanas ou meses.

O engenheiro responsável deve acompanhar de perto esse momento, participando da decisão de contratações e também dando suporte à gestão financeira. Na etapa, o segmento mais técnico fica por conta da definição dos recuos e delimitações do canteiro de obras que será utilizado.

Movimentação de terra

É muito comum que um terreno de obra precise ser mexido antes que ela inicie. Muitos espaços têm solos irregulares, o que não favorece uma rotina de trabalhos, além, claro, da construção de estruturas nesses locais. Por isso, é altamente necessário buscar o nivelamento de tais áreas.

A movimentação de terras é um trabalho que gera custos e também demanda tempo de execução. Por isso, o cronograma deve relatar não só o período necessário para que tais ajustes no solo sejam feitos, mas também o quanto esse trabalho vai custar para o orçamento do projeto.

Fundação

O começo da construção, de fato, é a etapa de fundação. O cronograma de obras deve definir exatamente quanto tempo será exigido para que as estruturas de sustentação sejam fixadas no solo. A partir daí, o restante do trabalho poderá ser efetuado.

Dependendo do que for erguido, a fundação pode ser feita de diferentes maneiras, e isso traz variantes também para os custos do projeto e para o tempo de execução. Esses detalhes devem estar devidamente descritos no cronograma da obra.

Estrutura

Com a fundação realizada, agora é a fase do planejamento em que a estrutura começa a ser implementada. Esse é um momento que requer muitos esforços e um longo tempo de dedicação. Por isso, é fundamental que haja precisão ao descrever o período no desenvolvimento do cronograma.

A construção da estrutura, assim como a fundação, vai variar de acordo com o projeto em questão. É possível ter estruturas já pré-moldadas, que serão apenas aplicadas, ou elas serão erguidas ali mesmo, sobre a fundação. Tal variação também impacta o tempo de execução.

Alvenaria

A etapa de alvenaria compõe a estrutura, como a forma de preenchimento dela. É nessa fase do trabalho em que são inseridas pedras, tijolos, blocos de concreto ou o que mais for escolhido para a edificação. Em tal etapa, a solidez da construção é, de fato, obtida.

Nessa fase da obra, o que vai impactar o tempo e os esforços a serem aplicados é, primeiramente, o tamanho da estrutura e, depois disso, o preenchimento utilizado. Por isso, ao desenvolver o cronograma, é necessário discriminar tais detalhes e definir o período de execução da alvenaria.

Revestimento e pintura

O revestimento vai dar uma camada de acabamento por cima desse preenchimento de alvenaria. Além de ser uma necessidade estética primária, antes da pintura, o revestimento também ajuda a dar sustentação às paredes, cobrindo os blocos, tijolos, ou o que foi empregado na obra.

Além da proteção com tal revestimento, há ainda a necessidade de pintura, essa, sim, parte do acabamento estético. Em todo esse processo, é importante determinar no cronograma os custos e o tempo de trabalho, tudo de acordo com as dimensões da construção.

Esquadria

Essa é a etapa do projeto em que portas, janelas, passagens e aberturas de diferentes tipos são inseridas na construção. Elas demandam custos acessórios para a compra das estruturas, além de também demandarem um tempo específico para que tudo seja posicionado nos espaços.

Janelas, portas e grades podem ser adquiridas no momento de planejamento inicial do projeto, incluindo assim os custos no orçamento da obra. Quanto ao cronograma, tal fase precisa ser relatada de forma simples, detalhando o trabalho e o tempo de conclusão.

Pavimentação

A pavimentação abrange tanto a porção interna, com pisos, quanto a externa, com o acabamento de como será o solo dos entornos da construção. Tal fase também pode variar de acordo com a extensão do local e a escolha dos materiais que vão revestir o chão da construção.

Como requer mais cuidado, já que limita a movimentação de operários, a fase de pavimentação deve ser posicionada como a última nos trabalhos de acabamento. Assim, é possível construir um cronograma de obras mais organizado, sem atrapalhar nenhuma outra etapa.

Instalações

A etapa de instalações é uma das finais no que diz respeito à funcionalidade da construção. Para que o imóvel seja ocupado, é necessária a entrega de serviços básicos, ou seja, instalações como:

  • elétrica;
  • sanitária;
  • hidráulica;
  • telefônica;
  • de Internet;
  • de incêndio.

Cada uma dessas instalações vai demandar tempo e esforços distintos. É importante que o engenheiro responsável detalhe quais delas podem ser feitas simultaneamente. As que não puderem devem ser colocadas em períodos diferentes no cronograma.

Cobertura

Lajes, telhados, telhas e o que mais estiver no planejamento da obra: a cobertura é o momento final, garantindo que o projeto seja entregue de maneira completa ao cliente. Esse é um período que também sofrerá influências pelo tipo de cobertura e suas exigências de trabalho.

Por conta disso, o cronograma deve definir o tempo exato, considerando inclusive fatores naturais, como fortes chuvas e ventos, que podem interferir na rotina de trabalho. É sempre importante relevar tais possibilidades ao estabelecer o tempo de conclusão no cronograma.

Quais erros precisam ser evitados nesse trabalho?

Um cronograma de obras não é ferramenta suficiente para impedir que falhas das mais diversas aconteçam. É fundamental que, além desse planejamento, haja também um trabalho de gestão embasado em conhecimento técnico e, naturalmente, no que foi definido no cronograma. Veja quais os erros principais precisam ser evitados.

Estimativas sem embasamento

Um grave equívoco que pode ser cometido na hora de compor um cronograma de obras é realizar estimativas de tempo e de custos sem que seja feito um estudo técnico antecipadamente. Há muitos fatores que podem impactar o período de execução de um trabalho, então é fundamental considerá-los.

Experiência e análise da situação é o que garante que não haja um tempo de duração da obra muito maior do que o previsto no cronograma.

Prazos irreais

Pode haver pressão para que empresas da construção civil consigam entregar projetos em prazos muito apertados em algumas ocasiões. Por mais que isso aconteça, é fundamental manter esse limite de datas dentro do que é a realidade do trabalho. Por mais produtivos que sejam os profissionais, nem sempre é possível cumprir alguns prazos.

Datas curtas demais devem ser rechaçadas, ainda que desagradem contratantes. É importante lembrar que há dois riscos: de não entregar no limite combinado e de entregar uma obra com falhas que podem gerar graves ameaças.

Descumprimento do cronograma

O cronograma não pode ser apenas uma estimativa. Ele é um documento que ajuda a organizar as etapas do trabalho e a guiar a sequência de atividades concretizadas. Por isso, cumpri-lo é obrigação da equipe técnica da obra. Negligenciar o que foi determinado pode gerar consequências das mais variadas nos resultados do projeto.

Todo trabalho na construção civil deve, além da parte técnica, considerar toda a programação desenvolvida para ele.

Como um cronograma impacta o planejamento e execução de projetos?

De maneira geral, há muitas formas que o cronograma de obras pode afetar positivamente o planejamento e execução de projetos. As principais são:

  • guiar o trabalho com embasamento técnico;
  • estruturar a programação de trabalho de modo organizado;
  • dar previsibilidade à entrega da obra;
  • garantir mais produtividade e respeito às etapas;
  • encadear um fluxo de trabalho em uma ordem que não gere problemas ao empreendimento;
  • possibilitar um investimento mais preciso, sem desperdício de dinheiro;
  • compor um padrão de trabalho que ajude a empresa a se solidificar no mercado;
  • cumprir parâmetros de segurança essenciais à construção civil.

Executar um cronograma de obras preciso demanda experiência, estudos, análises e muita organização. Tal planejamento favorece a todos, desde o engenheiro responsável, passando pelos operários e chegando até o departamento financeiro. O resultado é mais satisfatório, e a empresa consegue se posicionar com mais credibilidade no segmento!

O que achou deste conteúdo? Compartilhe-o em suas redes sociais para que mais pessoas possam aprender sobre o assunto!