Porão de navio: como fazer movimentação, limpeza e estocagem?

  • Portuário

Durante a história da engenharia naval, as empresas sempre se preocuparam em construir suas embarcações de acordo com o tipo de carga a ser transportada. Com o porão de navio, não seria diferente.

Afinal, ele é um compartimento de alta atenção para a logística. Principalmente por demandar cuidados periódicos específicos — como limpeza, secagem, reparos, inspeções visuais e movimentação de maquinários pesados — de acordo com o tipo de carga que movimenta.

Por essa razão, preparamos este conteúdo e explicaremos como são configurados os porões de navio, quais tipos de carga comportam, como fazer a manutenção correta e quais os equipamentos a serem utilizados para melhorar a operação portuária. Confira!


Locação de Equipamentos – Alugue Online

O equipamento ideal para o seu projeto aqui


Porão de navio: conheça os principais tipos

O porão de navio é o espaço mais amplo e profundo da estrutura de um cargueiro. Podendo ser destinado ao transporte de grãos, granéis em geral, big bags, sacas etc.

Em geral, os porões são estruturas bastante protegidas do clima e representam ampla finalidade logística, servindo diretamente à importação e exportação dos principais insumos e commodities mundiais.

Quanto mais complexa é a embarcação, mais volumosa é a carga. Portanto, entenda de forma sucinta quais são os principais tipos de porão existentes.

Bulker

O navio tipo bulker é conhecido popularmente como graneleiro e tem como principal finalidade o transporte de granéis de diversos tipos, tanto grãos quanto minérios. O que o torna um modelo bastante aderente a economia brasileira, afinal somos um país exportador e de costa continental extensa.

Para otimizar o escoamento desses produtos, são necessários equipamentos de movimentação de cargas em conjunto com linhas de transporte e esteiras fixas nos portos. Isso porque a maioria não possui guindaste próprio para o processo de descarga.

O porte dos graneleiros pode variar bastante e apresentar formatos diferentes, como os porões em formato de caixa (Box Shaped Open Hatch).

Ro-Ro

O Ro-Ro (Roll-on/Roll-off) são modelos que, em vez de terem porões tradicionais, apresentam decks com vários compartimentos.

É ideal para otimizar o espaço interno e, para transporte, não possuem guindastes para realizar a operação de carga e descarga, mas sim um sistema que move as mercadorias por meio de rodas. Eles podem ser utilizados para qualquer tipo de carga, exceto granéis.

Full container

O porão de navio do tipo full container foi desenvolvido com o principal intuito de simplificar e organizar os contêineres de dentro da embarcação e facilitam o embarque por meio de guindastes.

De forma geral, estes transportes marítimos utilizam guindastes de terra, os portêineres. Contudo, há modelos com estruturas próprias para o auxílio neste tipo de trabalho.

Lo-Ro

O porão Lo-Ro (Lift-on/Roll-off) tem a mesma lógica do modelo anterior Ro-Ro, porém, tem mais opções na logística no transporte de cargas. Ou seja, combina o modelo de rampa e decks com o clássico porão operado por meio de guindastes pelas escotilhas.

Tanker

São modelos de navios que, em vez de ter porões, possuem tanques no seu lugar. São ideais para transportar líquidos como combustíveis nas exportações, por exemplo.

Além disso, são utilizados para transporte de gás. São modelos com prioridade máxima de segurança devido aos seus produtos inflamáveis.

Multipurpose

Como o próprio nome já sugere, é um modelo com várias funções. O Multipurpose proporciona versatilidade para diversos tipos de cargas. Em modelos mais modernos, é possível encontrar divisões verticais dos porões (bulkheads) que podem ser ajustadas de acordo com a necessidade.

Reefer

É um modelo destinado a cargas que necessitam de refrigeração, muito utilizado pelo setor frigorífico. Contudo, ele vem perdendo espaço para os novos modelos de navios denominados containers reefers.

Heavy Lift

Estes são modelos diferenciados em que necessitam de um planejamento próprio desde a sua fabricação. Fatores como amplitude, características do porão, guindastes com capacidades maiores e estruturas reforçadas são idealizadas conforme as cargas de grandes dimensões.

Além de compreender quais são os tipos de porão de navio, é fundamental compreender o que deve ser feito na hora da manutenção, principalmente fatores como limpeza e equipamentos.

Como fazer a limpeza, manutenção e estocagem?

Quando se trata do portão de um navio, há três processos que precisam ser realizados com atenção. Afinal, a estocagem, limpeza e manutenção, interferem diretamente na qualidade e produtividade do transporte de cargas – independente de quais sejam – nos portos e terminais hidroviários.

Com isso em mente, adotar práticas de checklists e manutenções preditivas pode significar maiores garantias de saúde operacional ao longo prazo. Confira o que deve ser feito em cada um dos processos:

Limpeza

É recomendada após o esvaziamento de cargas, principalmente quando se refere a minérios como carvão, enxofre, cimento, fertilizantes etc. Assim, evita a mistura de componentes químicos nos próximos abastecimentos. Um dos melhores é o hidrojateamento, pois utiliza somente a pressão da água para eliminar os resíduos sem danificar os compartimentos.

Contudo, a limpeza de porões de navio possui riscos inerentes. Quando pensamos em porões graneleiros, há riscos de soterramento, engolfamento e afins. Por isso, mesmo a prática de limpeza precisa ocorrer sob alta supervisão e planejamento.

Há máquinas indicadas para o processo de limpeza, como as minicarregadeiras com implemento de vassoura, por exemplo. Ainda assim, esses equipamentos só podem entrar no portão após grande parte do material já ter sido removida.

Manutenção da retirada de líquidos

Juntamente com a higienização, é necessário realizar a retirada de água deste compartimento. Afinal, é comum que, em alguns casos, a água da chuva ou da limpeza fique represada, aumentando a umidade do local. Para isso, o principal equipamento utilizado é a bomba de porão, que retira o excesso por meio de sucção.

Juntamente com essa etapa, fatores como ventilação do ambiente e padrões ambientais de segurança devem ser observados. Para resolver este problema, os ventiladores de porão são bastante utilizados, diminuindo a proliferação de micro-organismos que ocasionam a formação de mofo e colocam em risco grande parte das cargas e insumos transportados.

Equipamentos para estocagem

Como visto anteriormente, a depender do tipo de porão de navio, a forma de armazenamento é diferente. O modelo bulker é um dos mais importantes utilizados para exportação de grãos do agronegócio e minérios em geral. Nessa etapa, para melhor logística, utilizam-se equipamentos para transporte, visto que a maioria não possui guindaste próprio. Nessa questão, uma ótima aliada para auxiliar a descarga interna são as minicarregadeiras e pás carregadeiras de 8 e 12 toneladas, na logística do granel.

Realizar a manutenção correta do porão de navio promove melhor qualidade dos insumos a serem transportados e aumenta a vida útil do transporte naval. Portanto, é uma etapa que requer atenção.

Gostou do conteúdo? Quer se aprofundar ainda mais no assunto? Então, confira como os maquinários impactam os embarques de cargas a granel!