A importância dos terminais hidroviários

  • Engenharia

Eficiência, economia e produtividade: essas são as principais características dos terminais hidroviários brasileiros. Por isso, aproveitamos o momento para elaborar um post completo sobre essa modalidade, apresentando tudo o que você precisa saber sobre o tema.

Para isso, contamos com a ajuda de Guilherme Cayetano, Coordenador Comercial aqui na Armac. Com essa colaboração, mais do que especial, garantimos a entrega de informações corretas e atualizadas sobre o setor logístico. Então, não perca tempo e acompanhe!

O que são terminais hidroviários?

A começar pela principal dúvida no tema. Segundo Guilherme, a resposta é simples. “Os terminais hidroviários são estruturas dotadas de um ponto de atracagem, que permite a movimentação de pessoas e cargas, como granéis sólidos, granéis líquidos, carga geral, contêineres, entre outros.”

Além disso, ele destaca que esses terminais também apresentam conexões em terra com outros modais de transporte, permitindo a conectividade da cadeia logística e facilitando o escoamento da produção. Como sugere o nome, os terminais hidroviários são estações que precisam ser implementadas em ambientes aquáticos.

Por isso, é comum que sejam instalados em pontos estratégicos para o deslocamento via rios, lagos e oceanos. Entre as principais vantagens da modalidade, Guilherme destaca a “redução de custos, o ganho de efetividade — considerando a capacidade de carga das embarcações —, e o menor impacto ambiental.”

Outro detalhe importante é a alta produtividade. Geralmente, operam 24 horas por dia e contam com diversos desafios operacionais, principalmente em pontos como gestão de cargas e descargas, expedição, armazenagem, movimentação, içamento, manutenção e afins.

Quais os principais desafios na realidade dos terminais hidroviários?

Como pôde ver no parágrafo acima, os desafios operacionais são inúmeros. Mas aqui, vale destacar quais são os obstáculos em uma escala nacional. Questionado sobre esse ponto, Guilherme observa que o Brasil “possui uma grande malha hidroviária que ainda não é utilizada em sua total capacidade.”

Sobre os motivos para essa subutilização, ele pondera que isso pode estar ligado a “altos custos operacionais, tributários e de implantação, também pela falta de investimento em infraestrutura, ou pela má gestão das estruturas já existentes”. Mas apesar disso, destaca que, neste modelo, “o potencial do país é enorme.” Por fim, ainda lista outros desafios na realidade do setor:

  • alta dependência das movimentações rodoviárias, que encarecem o produto final e são menos sustentáveis;
  • flexibilidade reduzida, pois o tráfego depende das condições marítimas;
  • baixa velocidade, quando comparamos com o frete rodoviário.

Qual a vantagem de trabalhar com esse modal de transporte?

No fim das contas, as vantagens parecem se sobrepor às dificuldades. Aqui, cabe destacar as várias virtudes do transporte hidroviário, tais como:

  • redução de custos na movimentação de grandes cargas, sobretudo para materiais de baixo valor agregado, como o minério de ferro;
  • redução de emissões e poluentes, o que é muito positivo para empresas em busca da sustentabilidade;
  • maior segurança, por ser uma modalidade altamente regulamentada a nível nacional e internacional.

Por conta dessas caraterísticas, observa-se que o transporte hidroviário é a modalidade ideal para o deslocamento de cargas de minérios em geral, produtos e insumos agrícolas, como grãos, fertilizantes, farelos e afins, além de contêineres em geral.

Por outro lado, sabemos como a logística brasileira é mais propícia a considerar o transporte rodoviário e, por isso, também devemos destacar suas vantagens estratégicas:

  • maior flexibilidade de entrega em pontos mais distantes de áreas de tráfego hidroviário;
  • independência de fatores naturais ou climáticos como marés e tempestades;
  • maior velocidade de deslocamento.

Por conta isso, o transporte rodoviário é ideal para deslocar cargas secas em geral e granéis em menor escala. Basicamente, é a melhor solução de transporte para todo produto ou insumo que não transite próximo a áreas com disponibilidade hidroviária — como as regiões mais interioranas que demandam um fluxo logístico constante e, portanto, não podem depender apenas do transporte hidroviário e seus longos períodos de espera.

O que avaliar na escolha de máquinas e tecnologias para esse setor?

A escolha das máquinas para operações em terminais hidroviários é imprescindível, pois é a boa gestão da operação e manutenção dessas máquinas que retornará os melhores resultados ao final do exercício, combinando eficiência, economia e produtividade.

Primeiro, é importante considerar que essa operação envolve altos custos, o principal sendo a ociosidade. Ou seja, quando as máquinas não estão disponíveis, e a operação para, resultando na queda de produtividade nas tarefas de carga e descarga, além de possíveis multas e sanções por conta dos atrasos.

Por causa disso, nossos especialistas entendem que a confiabilidade dos equipamentos é extremamente importante. Desse modo, as máquinas mais utilizadas em operações hidroviárias são:

  • empilhadeiras, headstackers e manipuladores telescópicos: movimentação de cargas nas docas, costados e armazéns, bem como de contêineres;
  • escavadeiras: rechego em porões, organização de armazéns, manutenção de infraestrutura em geral;
  • pás carregadeiras: movimentação em armazéns, rechego em porões de navios, expedições e afins;
  • tratores de rodas: movimentação de vagões em terminais com estrutura para modal ferroviário;
  • plataformas elevatórias: manutenções de armazéns, porões e inspeções;
  • guindastes: movimentação de cargas em grandes alturas.

Como pode notar, a produtividade na logística hidroviária está 100% conectada à confiabilidade das máquinas em serviço. Por isso, é um setor que precisa operar, lado a lado, com uma sólida empresa de locação, com alta reputação no mercado e um portfólio composto pelas melhores máquinas criadas pela indústria.

Quais máquinas da Armac podem ser utilizadas nesses locais?

Atualmente, a Armac oferece toda a linha de equipamentos móveis para atender a demanda desses terminais:

  • carregadeiras com implemento de vassoura para limpeza industrial;
  • tratores e carregadeiras com engates ferroviários;
  • manipuladores telescópicos;
  • plataformas elevatórias;
  • caminhões basculantes;
  • caminhões comboio;
  • retroescavadeiras;
  • pás carregadeiras;
  • caminhões munck;
  • empilhadeiras;
  • escavadeiras.

Em resumo, temos tudo o que você precisa, além das qualidades mais importantes, como disponibilidade e flexibilidade para as mais diversas expectativas, adequando cada um dos equipamentos às suas necessidades — o que é um diferencial competitivo, tanto para nós como para quem nos contrata.

Quais os diferenciais e destaques da Armac Locação?

Flexibilidade, confiança, agilidade, tecnologia e suporte: esse é o nosso DNA. Com mais de duas décadas de mercado, 2.100 máquinas, 1.200 colaboradores e 235 cidades de atuação, nós representamos o que há de melhor em sustentabilidade, ética e resultado.

Ou seja, conosco, você opera em um estado de plena confiabilidade, tanto pelos equipamentos modernos como pela equipe de apoio, sempre presente, tática e responsável. Além disso, oferecemos uma garantia mínima de disponibilidade para as suas atividades, reforçando que não ocorrerão paradas não programadas.

Outro diferencial importante é a terceirização completa das operações, com nossa equipe de operadores, encarregados e mecânicos altamente qualificados, focados em servir e extrair resultados. Basicamente, não medimos esforços para atender o cliente e entregar sempre conforme o planejado.

Agora que você conhece todos os desafios dos terminais hidroviários, aproveite para alavancar a sua operação com a principal referência no mercado da locação. Para isso, basta acessar nossa página e entrar em contato!