Sinalização de segurança: aprenda como fazer!

  • Segurança no trabalho

A sinalização de segurança deve ser feita em áreas que ofereçam riscos para os trabalhadores. Ela é muito importante para quem realiza trabalhos em altura, utilizando plataformas elevatórias de qualquer modelo, por exemplo, articulada, tesoura, telescópica, entre outras. Porém, para isolar os locais, algumas regras fundamentais devem ser seguidas, o que inclui o uso de diferentes tipos de sinalização.

Neste post, vamos mostrar como fazer uma correta sinalização de segurança dentro das empresas e nos trabalhos externos. Além disso, aprofunde-se nas normas técnicas e nos principais pontos a serem seguidos para evitar acidentes. Aqui, você descobrirá como o cumprimento das exigências legais auxilia o negócio e aumenta a sua credibilidade.

Gostaria de aprender a fazer a sinalização de segurança? Acompanhe a leitura deste artigo!


Locação de Equipamentos – Alugue Online

O equipamento ideal para o seu projeto aqui


O que é a sinalização de segurança?

A sinalização de segurança é um componente fundamental em qualquer ambiente que envolva a circulação de pessoas. Ela é composta por uma série de elementos visuais que servem como uma forma de comunicação e orientação para a identificação de áreas perigosas e medidas de proteção.

Esses elementos incluem placas, cores, sinais sonoros, faixas, entre outros, tendo como objetivo principal prevenir acidentes e fornecer informações importantes sobre o ambiente.

Usar diferentes tipos de sinalização de segurança é especialmente importante em ambientes de trabalho nos quais pessoas estão expostas a riscos que precisam ser identificados e evitados. Ela pode indicar a localização de equipamentos de segurança, áreas com potencial perigo e tubulações que contêm produtos químicos.

Em resumo, esse tipo de sinalização é uma solução eficaz para garantir a segurança e o bem-estar de todas as pessoas em ambientes de trabalho.

Como fazer uma correta sinalização de segurança?

Para realizar a correta sinalização de segurança dentro das empresas e em trabalhos externos efetuados em áreas elevadas do solo, é necessário utilizar os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Nesse último caso, faça uma checagem do local e verifique quais serão os EPIs que sustentarão o trabalhador durante a elevação. Alguns deles são os cintos, talabartes, trava-quedas, capacetes, botinas etc.

Confira o peso que cada equipamento suporta e o tipo da plataforma elevatória, bem como o cumprimento e a altura que será atingida para realizar o isolamento. Em seguida, avalie o solo, para evitar perigos decorrentes de tombamento ou afundamento. Depois, procure conhecer os aspectos técnicos da plataforma elevatória, fazendo a leitura do catálogo técnico para saber detalhes sobre as máquinas.

Plataformas elevatórias a combustão, por exemplo, exigem o isolamento de uma área maior. O procedimento poderá ser realizado com fitas e cones de sinalização, que são indispensáveis para sinalizar os locais. Os cones devem ter 3 metros entre si e precisam ser interligados com as fitas. Se uma plataforma estiver paralela a uma parede, sinalize no lado oposto.

O que diz a Norma Regulamentadora (NR) 18?

A NR 18 trata sobre a maneira como devem ser feitas as sinalizações para o uso das plataformas elevatórias. No item 18, são apresentados vários pontos a serem observados pelo profissional responsável pelos diferentes tipos de sinalização. Veja a seguir alguns detalhes que estão registrados nessa norma e que são essenciais para a segurança dos empregados e empregadores!

Obrigatoriedade do uso de EPIs

O líder deverá indicar as saídas de emergência, os locais de apoio e advertir os colaboradores sobre os riscos existentes na execução das atividades. Os trabalhadores devem ser alertados sobre a obrigatoriedade de usar os EPIs, e as áreas de movimentação devem ser isoladas. Por outro lado, os acessos e os locais de circulação precisam ser identificados.

Requisitos de segurança

O anexo IV da NR 18 trata sobre os requisitos mínimos de segurança que precisam ser conferidos pelo empregador. Os equipamentos elevatórios precisam ser usados de acordo com as orientações do fabricante, que fornece dicas para a sua operação, inspeções periódicas e manutenção. A plataforma precisa conter dispositivos de segurança que garantam o nivelamento no local de trabalho.

Além do mais, a plataforma deve ser composta pela alça de apoio interno, o guarda-corpo e um painel de comando que tenha um botão de parada de emergência. É obrigatória a existência de um sistema sonoro que seja acionado durante a descida ou a subida e de um dispositivo de emergência para baixar o colaborador até o solo, se houver pane.

Dispositivos de proteção

O empregador precisa analisar o ambiente para identificar possíveis riscos à integridade física dos colaboradores que utilizarão o equipamento. A plataforma de elevação jamais poderá expor os trabalhadores a choques elétricos, razão pela qual deverá ser constituída por plugs e tomada blindada, cabos de alimentação de dupla isolação, aterramento elétrico e Dispositivo Diferencial Residual (DDR).

Inspeções diárias

O manual de operação das plataformas elevatórias deverá estar à disposição dos operadores nas frentes de trabalho. O profissional capacitado deverá supervisionar as atividades e conduzir a equipe para que todos trabalhem em condições seguras. O operador que foi treinado pelo empregador precisa inspecionar o local onde será utilizado o equipamento todos os dias.

Rotina de verificação

O profissional responsável precisa ter acesso à ordem de serviço ou ao manual de procedimentos elaborado para atender às rotinas de verificação diária do local e das plataformas. O operador do equipamento deverá ter uma visão clara da trajetória a ser percorrida e manter uma distância segura de rampas, depressões ou obstáculos que levem à exposição aos riscos de acidentes.

Circulação de colaboradores

A sinalização deverá impedir totalmente a circulação de mão de obra ou outras pessoas na área de operação da plataforma elevatória. Não posicione nem opere o equipamento se ele estiver sobre veículos, trailers, caminhões, estradas de ferro, vias, andaimes ou qualquer tipo de maquinário, exceto se tiver sido planejado para isso.

Área de operação

Antes de iniciar o uso da plataforma elevatória, o operador precisa averiguar se a superfície está de acordo com as condições apontadas no projeto ou pelo fabricante. Não podem existir obstáculos aéreos no caminho, e deverá haver uma distância segura dos componentes ou linhas de força energizadas. Sempre paralise as operações em caso de condições climáticas adversas.

No local sinalizado, somente poderão estar presentes os profissionais autorizados, para evitar riscos de acidentes. A descida da plataforma elevatória pode ser efetuada somente se não houver equipamentos ou trabalhadores nas áreas sinalizadas. Após o uso, recolha, desligue e proteja o equipamento, evitando acessos não autorizados.

O que diz a Norma Reguladora 26?

Outra norma que você deve manter em mente durante o planejamento dos diferentes tipos de sinalização de segurança em sua empresa é a NR 26. Ela fala mais diretamente sobre esses sinais e como eles devem ser padronizados dentro do negócio para facilitar o entendimento pelos profissionais.

Veja aqui alguns dos principais pontos a partir dos quais você deve se planejar.

Cores na sinalização

Sem dúvida, o elemento mais importante dentro dessa norma é a padronização do uso de cores em diferentes tipos de sinalização de segurança. Assim, os colaboradores podem compreender rapidamente qual é a natureza de uma placa, independentemente do seu contexto de aplicação.

Saiba mais sobre cada cor e como elas devem ser usadas.

Amarelo

É a cor geral usada para indicar “cuidado” ou “atenção”. Você a encontra em vários locais onde é necessário estar alerta, seja contra um risco específico ou de forma geral. O amarelo é uma cor bem visível e que reflete muita luz, sendo fácil de notar rapidamente.

Azul

A sinalização azul indica alguma ação obrigatória quanto ao uso de EPIs em determinada área, ao acionamento ou não de certos equipamentos etc. É uma cor que induz a uma resposta mais lenta e controlada.

Laranja

Placas e identificações em laranja indicam perigo iminente em determinada área. É o próximo estágio de alerta em relação ao amarelo. Você encontra essa cor principalmente em caixas de dispositivos elétricos e em partes móveis de certos equipamentos pesados.

Púrpura/Roxo

É outra cor que indica perigo, mas, nesse caso, fala especificamente do risco de radiação. Você encontra vários tipos de sinalização com essa cor em usinas nucleares, onde é feita a manipulação de material radioativo com alguma frequência.

Verde

Áreas com demarcação verde indicam “segurança” ou “proteção”. Ou seja, são usadas para destacar as partes do ambiente de trabalho envolvidas em prevenir ou remediar acidentes. É o caso de zonas seguras, caixas de primeiros socorros, rotas de fuga, equipamentos específicos para emergência, entre outros.

Vermelho

A cor vermelha tem um papel bem específico entre os tipos de sinalização: indicar materiais e equipamentos relacionados a incêndios. É o caso dos hidrantes, extintores, saídas de emergência etc. A NR 26 também enfatiza que essa cor NUNCA deve ser usada para sinalizar perigo.

Preto

A cor preta é indicada para se referir à coleta de resíduos, exceto resíduos hospitalares. É o caso de placas que levam para pontos de coleta, assim como áreas para separação e armazenamento de lixo.

Branco

A cor branca é usada principalmente na indicação de direções e limites. Por exemplo, para delimitar até onde certas pessoas ou equipamentos podem se deslocar com segurança.

Rotulação de produtos químicos perigosos

Outro ponto definido na NR 26 são os tipos de sinalização utilizados em produtos químicos e seus impactos. Essa rotulação deve seguir os padrões estabelecidos pela Globally Harmonized System (GHS) para produtos químicos, um conjunto de normas definido pela Organização das Nações Unidas.

Quais os principais tipos de sinalização de segurança existentes?

A seguir, destacamos alguns dos sinais de segurança mais comuns encontrados nos ambientes de trabalho.

Sinalização de proibição

Placas de sinalização que indicam proibições são colocadas em áreas onde determinadas ações, itens ou comportamentos não são permitidos. Por exemplo, “proibido fumar”, “alimentos e bebidas não permitidos”, “não abrir” e “uso de chamas abertas proibido”.

Sinalização de perigo

A sinalização de riscos é crucial para garantir a segurança de todos no local de trabalho. Ela deve ser colocada em áreas onde existem perigos imediatos, pois, sem ela, as pessoas podem ficar expostas a ferimentos graves ou até fatais. Alguns exemplos de perigos que precisam de sinalização incluem “alta tensão elétrica”, “produtos tóxicos”, “riscos de radiação” e “choque elétrico”.

Sinalização de alerta

Esses sinais de alerta indicam níveis de perigo no local de trabalho que requerem atenção extra e podem resultar em ferimentos graves ou morte, mas não representam uma ameaça imediata, como a de uma zona de perigo.

Sinalização de cuidado

São sinais de precaução, alertando para situações que podem causar lesões leves a moderadas se não forem consideradas. Esses sinais representam menor grau de perigo em comparação com outros tipos de sinalização. Alguns exemplos incluem: “piso escorregadio”, “baixa altura de teto”, “risco de tropeçar” e “área com circulação de empilhadeiras”.

Sinalização de incêndio

Existem dois tipos de sinalização de segurança contra incêndios:

  • sinais de proibição: esse tipo de sinal específico indica que não é permitido acender chamas, incluindo fumar ou usar itens que possam causar incêndios;
  • equipamento de emergência: esses sinais indicam onde o equipamento de combate a incêndios está armazenado, como extintores, mantas antichama, máscaras e mangueiras.

A sinalização de incêndio não requer um título, como “cuidado” ou “atenção”.

Sinalização de orientação

Essa sinalização funcional é fundamental em edifícios, indústrias e outros locais fechados para indicar rotas de saída regulares e de emergência.

Sinalização de aviso

Esses sinais são utilizados para chamar a atenção para informações críticas relacionadas a comportamentos, expectativas e atividades em uma área específica. Exemplos incluem locais para descarte de resíduos e reciclagem, áreas de armazenamento de alimentos e regras de limpeza de instalações.

Sinalização de informações importantes de segurança e emergência

Essa categoria de sinalização tem como finalidade ajudar a recordar as diretrizes de segurança e as medidas a serem tomadas em casos de emergência no ambiente de trabalho. Elas apontam aos funcionários onde encontrar o equipamento necessário em caso de emergência.

A sinalização de informações críticas pode ser composta por textos e/ou símbolos gráficos. Eles são versáteis e podem ter várias finalidades. É importante que as organizações instalem esses sinais para indicar, por exemplo:

  • local do equipamento de primeiros socorros;
  • locais de limpeza para as mãos, olhos e outros equipamentos;
  • procedimentos de desligamento de segurança;
  • telefones de emergência disponíveis;
  • vestimenta de segurança obrigatória.

Qual a importância do cumprimento das exigências legais?

É muito importante cumprir as exigências legais para ganhar credibilidade no mercado e valorizar os colaboradores, que precisam ter qualidade de vida. O atendimento às normas técnicas diminui as possibilidades de acidentes, salva vidas e evita condenações judiciais decorrentes de ações indenizatórias ou reclamatórias trabalhistas.

Caso um trabalhador sofra um acidente enquanto utiliza uma plataforma elevatória, por exemplo, a empresa terá diversos gastos. O empregador terá custos decorrentes do afastamento do colaborador acidentado, contratação de novos trabalhadores, realização de treinamentos, pagamento de despesas médicas ou tratamentos e auxílio aos familiares, se houver falecimento em virtude de queda fatal.

Entendeu como é possível fazer a sinalização de segurança? Compreender os diferentes tipos de sinalização e suas finalidades dá mais controle na hora de elaborar o planejamento, além de melhorar a proteção da sua equipe.

Nesse sentido, a Armac é uma excelente parceira na locação de plataformas elevatórias e equipamentos pesados para os mais variados segmentos do mercado. A empresa atende empreendedores do campo e da cidade, nos segmentos de agricultura, infraestrutura, portos e construção civil, em 20 estados brasileiros. Todos os nossos protocolos são orientados pelas nossas 10 regras de ouro de segurança, que informam nossa equipe sobre a melhor forma de se proteger durante o trabalho.

Quer saber mais sobre como a Armac está ajudando a construir o Brasil? Entre em contato conosco!

Gerar oportunidades e desenvolvimento para um mundo cada vez mais produtivo e sustentável