Conheça a NR 12: Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos

  • Segurança

Em nossa trajetória, sempre frisamos a importância da segurança no trabalho, uma preocupação que manifestamos aqui no blog e, principalmente, nos atendimentos realizados aos nossos clientes em todo o país. Sendo assim, aproveitamos o post da vez para falar sobre a NR 12!

Como perceberá nesta leitura, essa é uma norma fundamental para a operação de máquinas, pautada na premissa de garantir a saúde e integridade física dos trabalhadores. Afinal, nesta norma engloba-se uma série de práticas e medidas sobre a interação segura com ferramentas, máquinas e demais elementos no ambiente de trabalho. Portanto, não perca tempo e acompanhe!

O que é a NR 12?

Em essência, a NR 12 – criada, originalmente, em junho de 1978 e regida pela portaria mtb 3.214/78 – é uma das 37 normas regulamentadoras da segurança e saúde no ambiente de trabalho. Popularmente conhecidas como NRs, esses textos observam e definem referências técnicas e princípios operacionais detalhados do setor produtivo, orientando equipes, empresas e colaboradores em torno de uma atividade segura, atenta e protegida.

Já a NR 12 dispõe especificamente sobre a segurança no trabalho com máquinas e equipamentos — ou seja, trata-se de um guia fundamental para a conscientização operacional de várias empresas, em setores como o agronegócio, a indústria, a construção civil e qualquer outro segmento que interaja com maquinário especializado.

Para que não restem dúvidas sobre sua aplicação, a NR 12 deixa bem claro o que entende como a utilização de máquinas no ambiente de trabalho:

  • manutenção;
  • desativação;
  • montagem;
  • construção;
  • transporte;
  • instalação;
  • desmonte;
  • operação;
  • inspeção;
  • limpeza;
  • ajuste.

Com essa descrição, o texto deixa claro que qualquer uma dessas práticas na interação com máquinas exige à conformidade com os princípios dessa norma. Pois, no fim das contas, o objetivo das NRs é prover técnicas, medidas e recomendações preventivas, voltadas a prevenção de acidentes e doenças  protegendo a sua produtividade operacional.

Da forma como percebemos, a importância da NR 12 cresce proporcionalmente ao avanço da tecnologia aplicada nas várias esferas do trabalho — na construção, no campo, na fábrica ou na mineração. Até porque, em comum, todos esses segmentos compartilham do aumento da produtividade ao introduzirem máquinas na operação.

Para além desse ponto de vista, também é importante frisar o caráter altamente preventivo dessa norma. Em dados de 2013, o anuário da Previdência Social brasileira observou que 11 modalidades de máquinas causaram cerca de 55.000 acidentes de trabalho. Por essa razão, atender às NRs é também um ato de responsabilidade civil, manifestando o interesse da empresa em proteger seus colaboradores.

Como a NR 12 é aplicada no ambiente de trabalho?

Tecnicamente, todas as NRs são colocadas em prática pelo braço executor dessa área, que é o Técnico de Segurança do Trabalho. Em suma, esse é o profissional responsável pela interpretação das normas, sinalização dos ambientes, elaboração de mapa de riscos, SIPATs e tudo o mais. Agora, veja os principais exemplos dessa NR se manifestando em sua operação!

Conscientização

Os colaboradores são educados sobre as práticas corretas de interação com os ambientes e as máquinas, cabendo a eles respeitarem essas regras para proteger a própria integridade física.

Comunicação

Os colaboradores são estimulados a comunicar seus supervisores nas situações em que algum componente protetivo da máquina esteja danificado ou ausente.

Capacitação

Todos os colaboradores que operam ou interagem com as máquinas devem comparecer aos treinamentos de competências específicas, aprendendo técnicas e noções que o habilitem para essa função.

Sinalização

Todo ambiente que disponha de máquinas e equipamentos deve ser devidamente sinalizado, com faixas direcionais no chão, placas descritivas de riscos, orientações de pontos de saída e demais elementos de emergência.

Dimensionamento

Também nos ambientes com máquinas, é importante ter um espaçamento compatível com a atividade realizada no perímetro, garantindo a mobilidade segura e ininterrupta dos operadores que caminham pelo ambiente.

Organização

Todas as ferramentas utilizadas nas operações, seja no manuseio de materiais, seja na manutenção de uma máquina, devem ser armazenados em uma área específica e fixa, garantindo previsibilidade e organização operacional.

Estabilidade

Quando falamos de máquinas móveis, a NR 12 dispõe que seus rodízios devem contar com calços, impedindo sua livre mobilidade durante a operação. Já quanto as máquinas estacionárias, essas devem contar com projetos de amortecimento e fixação ao solo.

Acionamentos emergenciais

Outro detalhe interessante do texto é que ele também descreve condições específicas para botões de emergência nas máquinas. Basicamente, eles não podem estar em seções perigosas do equipamento, portanto, devem ser acessíveis e possíveis de serem acionados por outra pessoa que não o operador.

Quais são as medidas exigidas pela NR 12?

Para finalizar, vale destacar os grupos de medidas protetivas, que são conjuntos normativos com critérios fundamentais para a segurança operacional da sua empresa, considerando a proteção individual, coletiva e administrativa. Veja só!

Medidas de proteção individual

  • basicamente, lista os famosos e importantes EPIs, que são os Equipamentos de Proteção Individual, utilizados como elementos protetivos e preventivos.
  • capacete, óculos, máscara de solda, protetor auditivo, respirador, vestimentas, luvas e calçados.

Medidas de proteção coletiva

  • dispositivos sensores de presença;
  • interfaces de ventilação, exaustão e refrigeração;
  • interfaces para a proteção de circuitos e dispositivos elétricos;
  • sistemas de proteção contra ruídos e vibrações, o dito isolamento acústico;
  • barreiras que amenizem a alta luminosidade nos ambientes de trabalho.

Medidas de proteção administrativa

  • investimento em tecnologia aplicada e automatização de processos repetitivos;
  • capacitação, treinamento e conscientização dos colaboradores;
  • redução da exposição dos colaboradores a situações de risco;
  • determinação de intervalos.

Por fim, vale destacar os dispositivos de proteção, categorizados em alguns grupos específicos. O primeiro grupo inclui as interfaces de segurança, os ditos comandos elétricos, como o Controlador Lógico Programável, os relés de segurança e assim por diante.

O segundo grupo já é composto pelos dispositivos de intertravamento, como chaves de segurança de várias tecnologias, com o objetivo de interromper o funcionamento de uma máquina assim que inserida na ignição.

O terceiro grupo inclui os sensores de segurança, que detectam presença para assim engatilhar determinada ação, como a interrupção de uma serra. Alguns exemplos práticos são as cortinas de luz, os scanners, os sensores de posição e afins.

Pois, bem! Agora que você sabe o que é a NR 12, e como o ministério do trabalho nos orienta a respeito da segurança de máquinas, aproveite para continuar atualizado em mais conteúdos fundamentais sobre análise de risco e segurança no ambiente de trabalho. Para tanto, basta acessar nossos outros posts e nos acompanhar nas redes sociais.