6 dicas para realizar o controle financeiro de obras com eficiência

  • Engenharia
  • Gestão

O controle financeiro é uma prática extremamente importante para qualquer empreendimento. Ele permite que as empresas se mantenham sustentáveis em meio aos seus diferentes gastos. Contar com esse processo também é primordial para traçar novos rumos e alcançar seus objetivos. Assim, o controle financeiro de obras se torna uma prática essencial para o setor, principalmente ao considerar os desafios encontrados durante a execução dos projetos.

Logo, a ausência dessa prática pode comprometer todas as etapas de operação das construtoras. Alguns problemas, como atrasos e investimentos inviabilizados podem surgir, trazendo prejuízos como consequência.

Neste texto, separamos 6 dicas para você realizar um controle financeiro de excelência para suas obras. Confira!

1. Defina o orçamento

Desenvolver um controle financeiro d obra, de maneira, eficiente não é uma tarefa fácil. Para isso, será necessário muito esforço e dedicação. Portanto, o primeiro passo para alcançar esse objetivo e administrar melhor os recursos durante a execução de um projeto é justamente o planejamento. Essa etapa é crucial para coletar dados a respeito dos principais gastos, como mão de obra, equipamentos e materiais.

O orçamento deve ser definido de acordo com as etapas do projeto, considerando todas suas peculiaridades na hora de estipular os gastos. Para que essa estimativa seja mais precisa ainda, é necessário fazer uma previsão de desembolso. Assim, será possível obter maior previsibilidade sobre todas as despesas da obra.

Esse processo pode ser concretizado ao avaliar as etapas que exigem investimentos, como aquisição de materiais, contratação de serviços, entre outros gastos. Quando o orçamento de obras é feito em paralelo ao cronograma das atividades, acaba sendo muito mais eficiente para a gestão financeira.

2. Tenha um cronograma físico-financeiro

Quando montamos o orçamento de uma obra com o cronograma das atividades, é possível agrupar o planejamento dos custos da obra de acordo com as etapas. Assim, é possível estimar com precisão os valores investidos em cada momento do projeto.

Essa prática traz informações essenciais para o controle financeiro, como a porcentagem dos recursos aplicados e a avaliação se as etapas da obra estão de acordo com o planejado. Um cronograma físico-financeiro é uma ferramenta muito poderosa para que as construtoras acompanhem o orçamento e os prazos com mais eficiência.

Uma análise sobre seus resultados possibilita adquirir informações valiosas sobre o andamento da obra. Dessa forma, será possível verificar se a execução do projeto corresponde aos prazos estipulados e se o consumo de recursos está dentro do orçamento. Outra grande vantagem do cronograma físico-financeiro é a possibilidade de visualizar as necessidades de ajustes.

Ele possibilita prever os períodos de maiores desembolsos, possibilitando que as medidas necessárias sejam tomadas antecipadamente. Assim, é possível identificar se existe sobras do orçamento ou até mesmo usar esses recursos para outras finalidades na obra.

3. Otimize os custos da obra

Se manter dentro do orçamento é uma das principais dificuldades que as construtoras enfrentam. Por isso, existem vários imprevistos que acabam gastando tempo e recursos nas obras e causando prejuízos. Por isso, a otimização de custos — como pagamentos e recebimentos — é um processo muito importante para alcançar um controle financeiro eficiente.

Ao otimizar seus gastos, é possível identificar e corrigir as possíveis eventualidades durante a execução de um projeto. Isso ajuda a evitar o encarecimento das etapas, assegurando que as coisas ocorram de acordo com o planejado.

Esse processo também é usado na criação de um banco de dados para a construtora. Assim, será possível avaliar e comparar a eficiência do serviço e entender os pontos que exigem melhorias. Otimizar os custos da obra também permite fazer a apropriação sobre os gastos, analisando o valor das composições.

4. Faça fluxo de caixa

O fluxo de caixa é usado para acompanhar toda a movimentação de recursos das empresas. Isso significa que os empreendimentos que envolvem a entrada e saída de recursos necessitam desse processo para alcançar um controle financeiro eficiente.

Para isso, é preciso registrar detalhadamente todos os ganhos e gastos de forma clara. Além disso, é necessário tornar essa prática uma rotina. Ao registrar todas as receitas e despesas, é possível definir o registro de dados essenciais para o controle financeiro de obras.

Com isso, é possível antever os momentos em que a construtora terá de trabalhar no vermelho e desenvolver formas para passar por essa fase e ainda alcançar bons resultados. Conseguir desenvolver um fluxo de caixa corretamente possibilita, por exemplo, abranger seus horizontes sobre o uso de recursos e de toda a movimentação de dinheiro.

5. Gerencie a obra periodicamente

Um controle financeiro de obras eficiente envolve uma análise constante sobre o andamento dos projetos. É necessário assegurar que tudo está ocorrendo de acordo com o planejado para evitar problemas com prazos e desperdícios de materiais.

Esse processo ressalta a importância do planejamento na hora de gerenciar todo o processo adequadamente. Ao fiscalizar as obras com uma certa frequência, é possível se certificar que a equipe está trabalhando de acordo com o planejado.

Isso significa que o seu investimento foi bem aplicado, assegurando que todas as operações estão em dia e que nenhum recurso foi desperdiçado no processo. Ter o controle rígido dos funcionários permite que o serviço seja bem distribuído e alcance resultados superiores.

6. Avalie os indicadores

Além de acompanhar a gestão de obras com uma certa frequência, você também pode avaliar os relatórios para acompanhar os resultados mais de perto. Assim, será possível analisar como o projeto se desempenhou ao longo do processo. Isso significa que você terá em mãos diversas informações valiosas, como os indicadores financeiros, para nortear os seus próximos passos.

Os indicadores devem ser selecionados no início do projeto, ou seja, durante o planejamento. Assim, é possível definir quais serão as métricas mais importantes para o processo e como elas vão auxiliar no controle financeiro de obras. Confira algumas opções:

  • BDI — Benefícios e Despesas Indiretas;
  • CUB/m² — Custo unitário Básico por Metro Quadrado;
  • CUPE — Custos Unitários PINI de Edificações.

Esperamos que com essas dicas você consiga alcançar um controle financeiro de obras de excelência. Para otimizar a sua gestão de recursos, seja na construção civil ou demais setores produtivos, procure investir em equipamentos e máquinas capazes de trazer mais valor ao projeto. Esse tipo de investimento deve ser planejado para evitar prejuízos e assegurar a qualidade dos resultados. Para isso, soluções como a locação podem ser uma ótima alternativa.

Gostou deste texto? Então aproveite para entender a importância de um cronograma de obras e como ele pode impactar seus resultados!