O que são projetos geotécnicos e para que servem?

  • Engenharia

Projetos geotécnicos são um aspecto importante para a construção de edificações, eles têm uma ligação direta com a análise do solo e junto a outros processos são fundamentais para a regularidade das obras e a preservação do meio ambiente.

No entanto, a sua importância pode não ser conhecida, ou mesmo, qual é o seu impacto para especializações como a engenharia. Pensando nisso, resolvemos mostrar, neste texto, alguns fundamentos sobre esses projetos. Confira!

Para que serve a geotécnica?

A geotécnica é uma especialização científica ligada à engenharia para solucionar problemas da área por meio da interpretação, aquisição e conhecimento do solo. Ela pode ser dividida em dois segmentos:

  • básica — que engloba os estudos das disciplinas de mecânica dos solos e das rochas e geologia;
  • aplicada — em que se estuda a estabilidade das taludes na mineração e rodovias, barragens, túneis, fundações, entre outros.

Como ela está diretamente ligada à engenharia civil?

Como explicamos na introdução, ela faz parte de um dos processos da engenharia civil, especificamente, o que compete à análise do solo. Por exemplo, para um engenheiro há uma associação dessa área com a concepção de obras e as possíveis consequências de um solo ruim, como recalques, trincas, desabamentos, entre outros.

É bom saber que o solo representa o suporte para as construções, tanto para a edificação de um prédio, quanto para servir como aterros para o despejo de detritos, por exemplo. Porém, é um tipo de estrutura altamente irregular, composta de diferentes materiais e propriedades. Além da probabilidade de não serem lineares, necessitando de alterações de sua superfície.

Todos esses detalhes precisam de uma análise adequada, inclusive, para definir quais são as alterações necessárias e os cuidados para não agredir o ambiente. Por isso, a engenharia utiliza a geotécnica para coletar informações como os níveis de lençol subterrâneo, a formal do solo a metro, a resistência às tensões, entre outros.

O que são projetos geotécnicos?

No processo para coletar todas essas informações sobre o solo, são desenvolvidos o que chamamos de projetos geotécnicos. Isto é, um conjunto de análises, interpretações e investigações de campo e de laboratório sobre a superfície de um terreno. Um projeto desse tipo contém desenhos, especificações, relatórios e muitos outros documentos para definir os aspectos geotécnicos das construções.

Para que servem?

Os projetos geotécnicos fornecem informações sobre o solo, dados que servem como uma comprovação de que a obra pode ser realizada naquele local. Além disso, eles são fundamentais para evitar problemas na sedimentação de uma construção e garantir que essas situações sejam eliminadas de forma segura e sustentável.

Por isso, a sondagem geotécnica é realizada muito antes do plano de obra e continua no período de construção e operação do empreendimento. Sua missão é fornecer um panorama das características daquela superfície, além de apresentar quais os impactos geológicos e geotécnicos que a alteração no solo causou.

Quais são os tipos de projetos geotécnicos?

Existem muitos processos tanto de prevenção quanto de investigação e administração dos resíduos produzidos na construção que são associados à geotécnica, inclusive, determinados pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Os principais são:

  • prevenção de desabamentos, de desmoronamentos, de deslizamentos e dos lençóis freáticos;
  • fundações de estruturas;
  • gerenciamento do problema do lixo;
  • conter a ocupação de encostas;
  • drenagem, esgotamento e rebaixamento;
  • escavações ao ar livre;
  • aterros;
  • pavimentos;
  • túneis em rocha e solo;
  • escoramentos e arrimos;
  • estruturas enterradas;
  • barragens e estruturas anexas;
  • estabilização de taludes naturais;
  • desempenho das construções.

O que deve constar nesse tipo de projeto?

Um projeto geotécnico pode ser dividido em três fases. Vamos entender melhor cada uma, a seguir!

Visibilidade

A primeira fase é a etapa ligada a entender melhor as características do solo. As informações coletadas aqui são fundamentais para estipular o custo da obra e também o prazo para a sua conclusão. Ela é dividida em outras quatro subcategorias:

  • reconhecimento preliminar;
  • inventário;
  • pré-viabilidade;
  • anteprojeto.

Projeto básico

Essa é a fase em que os aspectos da construção começam a ficar esclarecidos. Por isso, é desenvolvido o memorial descritivo e se começa a montar os principais documentos da obra. É nessa fase que são feitos os cálculos, desenhos e determinadas especificações, também é o momento de aquisição dos equipamentos.

Projeto executivo

Por último, há um detalhamento e revisão do projeto básico sem a necessidade de modificações no que já foi definido, o objetivo é obter detalhes do que foi previsto e executado. Como é uma etapa que continua enquanto a obra é executada, ainda existe uma série de produções de documentos durante o processo, justamente, porque o solo está sujeito a passar por uma série de modificações naturais que podem alterar as informações do projeto original.

Resumindo, esse tipo de projeto deve ter:

  • plantas de localização;
  • cortes e seções do terreno;
  • detalhes da construção;
  • orientações para execução;
  • memória justificativa e de cálculo.

Qual é a importância da geotécnica para as obras de engenharia?

A geotécnica tem um papel muito importante para a engenharia, especialmente, para aquela ligada à construção de edificações por garantir as condições para construções de maneira segura e que não causem danos sérios ao meio ambiente.

Especificamente em relação ao seu papel para evitar os danos ao meio ambiente, principalmente, em casos de retirada de resíduos químicos, é uma área que não trabalha sozinha, que exige a contribuição de outras, como a biologia, química.

Ao longo deste texto, falamos sobre as principais especificações de projetos geotécnicos e como é uma área importante para a elaboração de edificações e sua influência no solo. Principalmente, quando notamos o seu impacto positivo para construções mais sustentáveis ou que causem um menor dano ao meio ambiente.

Essas iniciativas, junto a outros processos de análise e regulamentação são fundamentais para a regularização de construções e para que o trabalho da engenharia civil seja feito da forma mais segura possível. Além de garantir informações detalhadas sobre o solo desde o início até o fim da obra.

Este texto foi útil para você? Quer continuar aprendendo sobre os processos do solo? Então, acesse agora o nosso texto sobre as causas da deficiência na mineração!