Mercado de biocombustível: confira um panorama atual sobre o setor

  • Inovação

O biocombustível vêm ganhando cada vez mais destaque como alternativa energética aos combustíveis fósseis, e a tendência é que, independente do tipo, assuma boa parte do mercado no futuro.

Mas o que são os biocombustíveis? São combustíveis derivados de biomassa renovável que pode ser utilizado como alternativa aos derivados de petróleo. Justamente por serem fonte de energia renovável, apresentam índice mais baixo de emissão de poluentes, ou seja, que contribuem para o meio ambiente.

Por trazer uma alternativa renovável e alinhada aos novos valores da sociedade, o mercado de biocombustível no Brasil e no mundo apresenta-se promissor e as projeções para os próximos anos são animadoras.

Neste post, vamos entender quais são os principais tipos de biocombustíveis e como o mercado está reagindo a esse início de retomada após um ano de 2020 muito difícil devido a pandemia. Confira!

Quais são os principais tipos de biocombustíveis produzidos no Brasil?

Para que você entenda quais são e como são produzidos os biocombustíveis no Brasil, neste tópico trazemos uma lista com os principais. Confira!

Biodiesel

Combustível com alta produção nacional, o Biodiesel é produzido com óleos vegetais que podem ser retirados do amendoim e da soja. É uma alternativa cada vez mais real ao tradicional óleo diesel utilizado no funcionamento de caminhões, ônibus, tratores e geradores de energia.

O grande destaque do biodiesel fica pelo fato de não ser um substância tóxica, é seguro e ajuda na redução de produção de poluentes na atmosfera, contribuindo para uma melhor qualidade do ar nas cidades.

Biogás

O Biogás é produzido a partir de uma mistura de gases provenientes da decomposição de matéria orgânica, sem a presença de oxigênio. É uma fonte de energia que é geralmente obtida a partir dos resíduos de aterros sanitários e pântanos e pode ser uma solução para o reaproveitamento do lixo doméstico não reciclável.

Bioetanol

O Bioetanol é outro combustível muito tradicional no Brasil, sendo aqui gerado, em maior parte, da cana de açúcar — embora também possa ser gerado a partir de outros vegetais, como o milho. Para a produção desse tipo de combustível, é extraído o álcool da celulose das plantas em busca de um maior potencial energético.

Biometanol

O Biometanol é um material produzido com biomassa, sendo a matéria prima mais utilizada o eucalipto. É um combustível bastante utilizado na indústria para a prisão de plásticos, mas que requer alguns cuidados por ser bastante inflamável.

Qual é o panorama atual do mercado de biocombustíveis no brasil?

Agora que já entendemos quais são e como são produzidos os principais biocombustíveis do Brasil, vamos analisar como está o mercado do setor. O ano de 2020 não foi dos melhores devido a necessidade de isolamento social e paradas produtivas devido à pandemia. Porém, o início de 2021 já apresentou sinais animadores.

De acordo com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), o consumo mundial de biocombustíveis deverá crescer em torno de 8%, em comparação com o ano anterior. Esse crescimento se dá especialmente pela redução nas restrições em relação à mobilidade veicular e a retomada das atividades econômicas. Isso impulsiona acima de tudo o consumo dos biocombustíveis líquidos.

Além da retomada pós crise, há outro fator que vem contribuindo para o crescimento do uso de biomassa, o incentivo que os governos de diferentes países oferecem, para conscientização do uso dessas fontes renováveis, com políticas públicas sólidas. Muitos países vêm adotando a reserva de cotas de mercado, denominada “mandatos de uso de biocombustíveis”.

Em 2020, o número de países com mandatos estabelecidos, elaborados com os mais diversos graus de rigidez, já era de 45. No Brasil o destaque vai para a RenovaBio, Política Nacional de Biocombustíveis, que é considerado o mais expressivo programa de descarbonização da matriz de combustíveis para transportes. O diferencial desse programa é a criação de créditos de descarbonização, o CBio.

O CBio é equivalente a uma tonelada de emissões de gases carbônicos que deixam de entrar na atmosfera pela mudança de hábitos na empresa. Aliás, a política nacional de biocombustíveis exige que os distribuidores adquiram CBios. Para se ter uma ideia da força desse crédito, em 2020 foram negociados na bolsa de valores brasileira, a B3, aproximadamente 14.9 milhões de CBio, que gera um volume monetário de mais de 650 milhões de reais

A adoção do biocombustível é um caminho sem volta?

Se pensarmos a longo prazo, sim! A tendência é que haja a substituição gradual dos modelos energéticos atuais para modelos mais sustentáveis. Isso acontecerá porque, além da necessidade natural, há a necessidade de suprir os anseios de consumidores cada vez mais exigentes, que estão em busca de empresas com as quais consiga se identificar.

A democratização da informação, graças a popularização dos smartphones e o crescimento das velocidades de internet, está ajudando na formação de cidadãos cada vez mais engajados, que estão em busca de um modelo de vida mais sustentável. Como a adoção dos biocombustíveis contribui para a redução da dependência dos combustíveis fósseis e para a redução do efeito estufa, eles passam a ser uma escolha natural dessa geração.

Além disso, por ser uma energia renovável, esse modelo de combustíveis pode ser regenerado por meio da intervenção humana. A tendência é que, a partir de pesquisas e testes, a produção e manutenção desse tipo de combustível se torne cada vez mais barata e com impactos cada vez menores.

O crescimento do setor deve contribuir para a retomada econômica do país como um todo, pois as diferentes etapas que permitem a pesquisa, desenvolvimento e produção de biocombustíveis, contribuirá para um aquecimento econômico, que resultará na geração de novos empregos em múltiplas áreas, incluindo o agronegócio, a indústria, o trabalho acadêmico e científico.

Como vimos, o biocombustível veio para ficar e, aos poucos, assumir o lugar que hoje pertence aos combustíveis fósseis. Mas para chegar no nível que permite essa substituição, será necessário a adoção de novos modelos produtivos, que exigem menos recursos e ocupam áreas menores. Não é tarefa das mais fáceis, mas, quando você opta pelo uso de algum biocombustível, está ajudando no financiamento dessa nova matriz.

Gostou do post? Então, siga o agente das redes sociais e receba em primeira mão as nossas dicas e novidades. Estamos no Instagram, LinkedIn, Facebook e Youtube.