Logística reversa: o guia completo

  • Gestão

A logística reversa não é nenhuma novidade no meio empresarial. O termo é utilizado desde a década de 1990 em um movimento conjunto de parte do setor para destinar com mais responsabilidade os produtos descartados pelos consumidores. Representando um tipo de pensamento que se estenderia para os próximos anos: a preocupação com meio ambiente e a busca por desenvolver estratégias que diminuam a utilização e o desperdício de recursos da natureza.

Pensando nisso, neste texto, resolvemos separar quais são os principais pontos fundamentais para entender sobre logística reversa e quais são as suas vantagens para as empresas. Continue!

1. O que é logística reversa?

Chamamos de logística reversa todas as estratégias e métodos com o objetivo de recolher e direcionar produtos consumidos para o reaproveitamento ou recolhimento de seus resíduos. Saiba que essa é uma prática definida pela Lei nº12.305 que, desde 2010, determina que os fabricantes, distribuidores e comerciantes devem promover ações para reduzir o volume de resíduos.

Claro que nem todos os setores empresariais são obrigados a implementar iniciativas como essa, mas aqueles ligados a fabricação de agrotóxicos, pneus, pilhas e baterias, óleos lubrificantes e suas embalagens, lâmpadas fluorescentes, produtos eletrônicos, entre outros, precisam ter uma política clara de destinação de seus resíduos pré e pós consumo.

2. Qual é a ligação da economia circular com a logística reversa?

Uma característica importante para a empresa que se compromete com a logística reserva é a possibilidade de se aproveitar o retorno que essa iniciativa oferece. Falaremos mais sobre as vantagens, mas existe um benefício que trataremos neste tópico com mais profundidade: a economia circular.

Esse é um conceito para definir iniciativas que têm três princípios básicos na sua efetivação: a remuneração, a redução e a reutilização de matérias e energia. Ela traz uma nova visão em relação à maneira como consumimos, já que na economia padrão, o ciclo de consumo tem um fim no descarte do produto. No caso da circular, o processo não termina e sim se renova por meio de outros métodos, como a reciclagem.

Como explicamos no tópico anterior, alguns setores têm a obrigação de implementar um sistema de logística reversa. Muitas vezes, essa iniciativa consiste em também recolher os produtos descartados. Como uma maneira de incentivar a população a trazer esses resíduos de volta para a empresa, ela pode determinar um processo de troca remunerada: os consumidores levam os descartes em troca de dinheiro, gerando a ideia de economia circular.

Outra forma é fechar parcerias com outras empresas ou mesmo cooperativas que realizarão a coleta. Também é possível criar postos de entrega em lojas próprias ou parceiras para facilitar o descarte.

3. Quais são as principais vantagens da logística reversa?

Utilizar a logística reversa garante muitas vantagens para uma empresa, não só a possibilidade de economia circular, auxiliando outros setores da cadeia, mas também oferece benefícios para a própria rotina. Aqui, separamos as principais vantagens de adotar essa prática. Continue!

Reutilização de materiais

Um dos fundamentos da logística reversa está no seu incentivo à reutilização. Ela abre espaço para que mais ações voltadas à reutilização sejam utilizadas pelas empresas, incluindo não só a forma como as conhecemos.

Afinal, é comum que quando pensamos nesses processos, nos concentramos nos produtos. Porém, uma outra maneira é a utilização de peças e equipamentos reutilizáveis, isto é, máquinas disponíveis para locação.

É possível alugar esses equipamentos e evitar a compra de novos, reduzindo o aumento de descartes quando essas ferramentas estiverem obsoletas.

Estimula a reputação da companhia

As questões ambientais são, há muito tempo, um importante assunto para o mercado. Ainda mais que o limite para evitar o aquecimento global fica cada vez mais curto, é natural que o setor pressione para que ações sejam implementadas pelas empresas.

Nesse ponto, como recompensa, estar alinhado a essas questões, investindo em ações e procurando maneiras de reduzir o consumo e desperdícios dos recursos da natureza é a garantia de ter uma boa reputação tanto entre o mercado, quanto com os consumidores. Uma das formas de diminuir a agressão ao meio ambiente é, definitivamente, investir na logística reversa.

Melhoria de processos

Evidentemente, ao implementar a logística reversa, a empresa passa por mudanças bastante profundas em suas operações. Alguns processos terão que ser modificados — e por que não dizer, melhorados — para que a companhia garanta a manutenção dos seus resíduos. Isso impulsiona a companhia a investir em inovações mais alinhadas com o meio ambiente, tanto na produção quanto no tipo de material utilizado.

Além disso, a logística reversa auxilia:

  • mais pesquisas para definir o ciclo de vida do produto e seus componentes;
  • investimento em materiais visando o longo prazo;
  • criação de diretrizes para o tratamento de resíduos;
  • controles mais rigorosos das operações.

Reduz os custos

É preciso dizer que, a curto prazo, os gastos podem ser maiores, visto que as mudanças importantes a serem feitas nos processos da empresa visam uma economia mais limpa. Entretanto, ao longo do tempo, a redução dos custos pode ser percebida. Afinal, com operações mais efetivas e focando em evitar o desperdício dos recursos, existe mais economia nos gastos voltados tanto para produção quanto para armazenagem e distribuição.

4. Quais os desafios do setor no Brasil?

A Política Nacional de Resíduos Sólidos tem mais de dez anos e vem guiando muitas empresas em relação à manutenção de suas sobras e, consequentemente, incentivando a implementação da logística reversa. Entretanto, isso não significa que todos os processos estejam completamente sedimentados.

Apesar de uma década ter passado, ainda existem desafios para que esse conceito seja completamente praticado, ou seja, vire um padrão para a maioria das empresas. Vamos conhecer alguns dos desafios.

Interesses conflitantes

Para algumas empresas, que são responsáveis por produzir os materiais utilizados por outras, a ideia de ter que reutilizar em vez de gerar novos componentes não é tão interessante assim. Justamente porque sua forma de garantir retorno está direcionada à constante procura por seus materiais, de forma que ter que reaproveitar, significaria diminuir a demanda.

Além disso, muitos componentes que deveriam ser enquadrados na política de logística reversa, inclusive para garantir o seu uso adequado, não são fiscalizados corretamente, sendo descartados indevidamente e perdendo a capacidade de serem reusados.

Falta de conhecimento

As ações voltadas para melhorar a utilização de resíduos, incluindo a Política Nacional, é de pouco conhecimento por parte dos consumidores. A divulgação das informações, como as possibilidades de descarte seguro e reutilização dos produtos não é tão divulgada pelas companhias ou pelo Governo.

É bom lembrar que, de acordo com a Lei nº12.305, que trata do assunto, é fundamental a parceria entre as entidades privadas e públicas para que a logística reversa seja implementada com sucesso. Isso significa também ter meios de divulgação explícitos para que os compradores façam a sua parte.

Problemas de transporte

Um processo importante da logística reversa está em como esses resíduos podem ser transportados. Para algumas companhias, investir em parte de sua frota apenas para o descarte adequado não é tão viável, principalmente, do ponto de vista financeiro.

Além disso, equipamentos e outras ferramentas mais pesadas precisam de um investimento maior quando o assunto é transporte. O que poderia ser solucionado com a locação, mas que em um primeiro momento para as companhias parece um investimento mais caro.

Reaproveitamento especializado

É impossível conseguir bons resultados para o reaproveitamento dos materiais sem o investimento em mão de obra especializada. Peças, componentes químicos e outros elementos têm estruturas complexas. No caso de resíduos tóxicos, existe todo um cuidado para manuseá-los de maneira que não agrida a saúde do funcionário e também não prejudique a vida útil do elemento ou do ambiente.

Encontrar os profissionais ideais para lidar com esses materiais pode ser um desafio para a empresa, além de significar um maior investimento sem um retorno tão rápido — portanto, implementar a logística reversa se torna um grande desafio.

Mais custos

De fato, a longo prazo, a logística reversa traz mais possibilidades de economia, principalmente quando analisamos como ela empurra a empresa a melhorar seus processos e, portanto, seu desempenho. Contudo, até esses resultados surgirem, não podemos negar todo o caminho que uma companhia precisa passar, incluindo, os gastos.

Será um investimento em funcionários especializados, equipamentos e transporte que representa, a princípio, um custo novo para a companhia. Nem todas as gestões estão preparadas ou dispostas a suportar esse ônus.

5. Como implementar a logística reversa?

Até agora, apresentamos todos os aspectos básicos que descrevem a logística reversa e que apresentam suas qualidades e desafios. Entretanto, como podemos aplicar isso em uma empresa? Quais são as iniciativas fundamentais para conseguir tornar esse conceito prático em um negócio? A seguir, vamos responder essas perguntas. Continue!

Entenda as etapas básicas da logística reversa

Como primeiro passo, é fundamental compreender como a logística reversa funciona e quais são suas ações básicas. São três etapas que envolvem desde a empresa até o consumidor. Elas são:

  • o consumidor compra o produto, usa ou consome e devolve a embalagem ou os restos do produto para o comerciante/ distribuidor;
  • o lojista repassa esse material para o fabricante ou importador;
  • a produtora encaminha esse conteúdo para a reciclagem ou reuso, ou descarte.

Invista na locação de equipamentos

Já falamos aqui o quanto o aluguel de maquinário também representa um tipo de reuso, afinal, um equipamento pode ser utilizado por várias empresas, evitando a necessidade de compra de novos itens — como máquinas que em um certo tempo serão descartadas e substituídas por novas, compondo um ciclo sem fim.

A locação de equipamentos, além de evitar essa situação, também oferece muitas vantagens para o consumidor. Ele terá à sua disposição máquinas atualizadas e também manutenções periódicas.

Tenha uma política de retorno de mercadorias

Um dos aspectos fundamentais para que a logística reversa funcione está relacionado a ter uma política de retorno clara e objetiva. Isso porque é essencial que o consumidor não tenha dificuldades para retornar os produtos, tanto para encontrar locais corretos quanto em relação à comunicação com a marca fornecedora.

A política de retorno ajudará a empresa a ter formas mais efetivas de comunicação com o público e viabilizará que a logística reversa possa ser realizada. Caso a companhia não saiba como fazer isso, estudar outras empresas que já implementam é uma boa maneira de começar.

Capacite seus funcionários

É preciso destacar que a logística reversa consiste em uma série de iniciativas que necessitam de especialização. O manuseio de materiais, a maneira correta de descarte e também a reutilização, consistem em um processo que deve ser embasado. Até para garantir melhores práticas na manipulação dos resíduos e das embalagens.

Não é à toa que todos os indivíduos que fazem parte da empresa devem estar alinhados ao objetivo da logística reversa. Por isso, a companhia deve investir não só em uma comunicação clara, mas também em treinamentos para que os fundamentos da reciclagem, reuso e descarte dos materiais estejam bem-incorporados.

Informe seus consumidores

A comunicação com os seus clientes é um passo fundamental para fechar o ciclo da logística reversa. A empresa deve investir em meios para deixar bem claro onde e de que forma o consumidor pode descartar o restante de produtos ou embalagens. Ela deve fornecer postos de descartes e até formas de contato em caso de dúvidas.

Além disso, é interessante explicar como funcionam os processos de logística reversa, citar os benefícios e estimulá-los a fazer a sua parte. Dessa forma, há mais chances de conseguir implementá-la de maneira eficiente e obter mais resultados com essa política.

6. Veja os principais formatos

Existem diferentes formas de implementar a logística reversa, obviamente, todas têm o mesmo princípio: a reutilização, porém, cada uma tem relação a uma parte do ciclo do produto. Vamos entender mais a seguir!

Logística reversa pós-consumo

Ela consiste basicamente no retorno dos produtos que já foram consumidos. É a mais efetuada pelas empresas e, muitas vezes, não tem relação exatamente com o que é consumido, e sim com as embalagens.

Portanto, é priorizada a reciclagem nesse processo, até para garantir que os descartes sejam feitos de maneira correta. Um exemplo desse tipo de logística é o que acontece com os pneus. Após serem utilizados, eles são coletados e reaproveitados para produzir outros materiais, como o asfalto.

Há três condições para um produto nessa logística pós-consumo:

  • existe possibilidade de uso, portanto ele é reutilizado;
  • não pode mais ser utilizado, mas o seu material é reaproveitável;
  • há risco ambiental, por isso, ele é descartado em local adequado.

Logística reversa pós-venda

Nesse caso, o produto ainda não foi totalmente utilizado, mas ele não atendeu às expectativas do consumidor e, por isso, é devolvido. Essa situação pode acontecer por diferentes motivos: defeitos, arrependimento, pedido incorreto etc.

Sendo assim, a empresa recebe a compra e faz uma análise de qual é o problema. No caso de defeitos, ela pode enviar o produto de volta para a fábrica e consertá-lo. Depois, colocá-lo novamente para ser comercializado.

Reuso

A logística reversa voltada ao reuso tem uma relação direta com a reutilização de ativos usados na fabricação de produtos ou mesmo para mercadorias abandonadas. Para esse tipo, a empresa pode realizar leilões para comercialização desses objetos.

Isso é bastante comum com aparelhos eletrônicos, móveis e até carros (especialmente, veículos recuperados de roubos). Dessa forma evita-se que essas mercadorias sejam descartadas de forma incorreta.

7. Como a sociedade ganha com essa política?

É evidente que à medida que os processos ambientais ganham mais e mais destaques, todas as iniciativas que envolvem o seu cuidado e melhoria ganham atenção. A logística reversa é uma das maneiras de lidar com um dos processos do ciclo de vendas mais complexos da nossa sociedade e beneficiar o ambiente.

Isso porque sabemos o que acontece no momento da fabricação e quando utilizamos, mas não temos tanta ideia do que ocorre no momento em que jogamos no lixo. Portanto, ter meios que facilitem o descarte correto e que também protejam o ambiente de nossos hábitos de consumo é fundamental.

Em vista disso, a logística reversa auxilia a sociedade e o meio ambiente, já que incentiva os pós-consumo responsável. Além de estimular que as empresas invistam em iniciativas sustentáveis e não só se preocupem com a produção, mas também qual será o destino de suas mercadorias.

8. De que maneira os equipamentos auxiliam no processo?

Vimos ao longo deste texto que a locação de máquinas e equipamentos pode ter um papel importante na implementação da logística reversa. Visto que são ferramentas fundamentais para os processos de muitas empresas. Muitos negócios nem existiriam se não pudessem utilizar máquinas para gerar os seus produtos.

No entanto, adquiri-las pode ser um grande problema para o meio ambiente. Quando essas máquinas ficam obsoletas e não funcionam mais, são descartadas e substituídas por novas. O problema é que esse descarte nem sempre é feito da maneira correta. Além disso, alguns equipamentos contêm resíduos que contaminam o meio ambiente.

Portanto, alugar essas máquinas em vez de comprá-las é uma maneira de parar essa tendência de consumo e descarte inadequado. Assim como ter a garantia de dispor de equipamentos de qualidade e que serão reutilizados.

9. Como escolher máquinas adequadas para a locação?

Agora que você entendeu como a locação de equipamentos pode ser fundamental para a logística reversa, vamos apresentar algumas dicas de como escolher. Confira!

Atenção as normas de segurança

É muito importante estar atento para se a empresa de locação e, essencialmente, suas máquinas estão regulamentadas. A norma NR 12 é a responsável por regularizar esses equipamentos. São três exigências fundamentais de uso:

  • proteção coletiva;
  • proteção individual;
  • medidas de organização de trabalho ou administrativas.

Procure saber se a empresa mantém suas operações conforme essas normas de segurança.

Verifique o estado das máquinas

No processo de avaliar se a empresa está em conformidade às normas de segurança exigidas, também é um bom momento para analisar o produto oferecido. Nesse caso, será interessante verificar pessoalmente o estado dos equipamentos oferecidos. Se você não tem nenhum conhecimento, vá acompanhado de um especialista.

Tenha cuidado, pois algumas empresas são bastante atrativas devido ao preço, no entanto, seus equipamentos não estão em bom estado.

Verifique a conservação e peça para ver a máquina funcionando. Lembre-se de que fechar um contrato só por causa do valor, pode custar muito mais que procurar por uma companhia com o preço maior, mas que entrega qualidade.

Atenção as condições do contrato

O contrato é um dos documentos mais importantes na hora de fechar a compra. É ali que estão todas as diretrizes de negociação, além dos direitos e deveres de cada parte. Por isso, a atenção deve ser redobrada em todos os itens desse documento. Veja se nele estão especificados quais tipos de serviço serão oferecidos — incluindo a locação.

É bem importante que isso esteja claro, para que não haja confusão jurídica, pois há diferença entre alugar e prestar serviço, incluindo do ponto de vista tributário.

Além disso, é fundamental que esteja bem evidente o que está ou não garantido, como substituições, periodicidade das manutenções e se também haverá locação de operador.

Analise o histórico da locadora

Por fim, faça uma boa pesquisa para saber como foi o atendimento da locadora para outras empresas. Procure pesquisar em sites de satisfação, fale com outros clientes e faça perguntas para esclarecer as suas dúvidas diretamente com a companhia. Esse é um passo importante para que você possa fechar negócio com uma empresa de qualidade.

Além disso, não se baseie apenas no preço, como já falamos neste tópico: oferecer um valor baixo não é garantia de ter produtos bons. No caso de equipamentos, é fundamental entender que o que é cobrado tem relação também com outros aspectos para manter a máquina funcionando, como manutenções, troca de peças e conservação.

Ao longo deste texto, falamos sobre tudo o que você precisa saber sobre a logística reversa. Desde o que ela é, suas qualidades, o que é preciso para implementá-la e como a locação de equipamentos é mais uma das maneiras de efetivar esse processo. Lembrando que esse tipo de logística é importantíssima para proteger o meio ambiente e garantir melhores formas de consumo.

Gostou do nosso texto? Quer continuar acompanhando os nossos conteúdos? Então, siga a gente no YouTube!