Como otimizar os processos de extração de sal?

  • Engenharia

A extração de sal é um dos processos mais delicados da indústria. Além de ser um ambiente hostil para as máquinas, exigindo uma frota de equipamentos robusta e confiável, a atividade é repleta de desafios e tecnicalidades, que vão desde as boas práticas de segurança no trabalho até uma série de dificuldades nas etapas de extração, manejo e logística.

Por isso, elaboramos este material exclusivo sobre o setor. Nesta leitura, você entenderá como é feita a extração de sal, quais os equipamentos mais importantes para cada processo, quais os principais riscos envolvidos e, por último e mais importante, como a Armac pode alavancar a produtividade desse segmento. Então, não perca tempo e acompanhe!


Locação de Equipamentos – Alugue Online

O equipamento ideal para o seu projeto aqui


Como é feita a extração de sal?

Tecnicamente, a produção de sal na era moderna existe em dois formatos: o tradicional e o industrial. Até certo ponto, o conceito é praticamente o mesmo. Nas salinas (modelo tradicional), o sal é saturado a partir da água que evapora naturalmente na interação com o ambiente à sua volta.

Já no modelo industrial, a evaporação é mecanizada, o que acelera a extração e eleva a produtividade. No entanto, cada modalidade apresenta seus prós e contras. O sal tradicional oferece um sabor mais rico e sofisticado, além de maior carga nutricional. Porém, sua produção é mais lenta, cara e desafiadora.

Mas embora o sal industrial perca em qualidade palatal e nutricional, ele ganha em termos de volume, velocidade e escala. No fim, não há rivalidade entre os modelos de produção, pois há público e demanda para ambos os produtos no mercado nas mais variadas aplicações — seja a mesa do consumidor final ou nas indústrias bioquímicas.

Comparando os modelos de extração de sal

Para comparar e entender os dois processos, consideramos as observações do relatório realizado por acadêmicos da Universidade do Porto. No modelo tradicional, a produção começa por um reservatório que recebe água durante as marés altas e armazena um excedente para os períodos em que as marés não contribuem para o processo. Então, inicia-se a etapa de evaporação, que ocorre naturalmente a partir da interação entre a água, o sol e o vento.

Depois, ocorre a cristalização, onde a salmoura (solução altamente salinizada pós-evaporação) é transferida para cristalizadores, que terminam o processo de precipitação dos cristais de sal. Por fim, a colheita, uma etapa composta por processos de lavagem, centrifugação, refino, manejo e logística.

Como pode ver, até mesmo no modelo tradicional existem muitas etapas industriais. O grande diferencial é a evaporação, que é acelerada no industrial por meio da mecanização deste processo. Como resultado, obtêm-se um sal de menor qualidade nutricional, mas com uma eficiência produtiva elevada.

Quais os equipamentos mais importantes para cada processo?

Por ser um segmento de alta periculosidade, a movimentação das cargas é altamente mecanizada. Para isso, utilizam-se uma série de máquinas da linha amarela e branca, todas de grande porte e durabilidade. Da linha amarela, destacam-se equipamentos como as pás carregadeiras, os tratores de rodas e as escavadeiras.

Já da linha branca, utilizam-se os caminhões basculantes em praticamente todas as atividades logísticas anteriores ao processamento e refino do produto. Por serem ambientes extremamente hostis para as máquinas, é fundamental investir em equipamentos referenciais por sua robustez e durabilidade.

Da forma como percebemos, existem quatro equipamentos que são muito estratégicos para extração de sal:

  • as pás carregadeiras são fundamentais para o deslocamento de material durante as várias etapas do processo produtivo;
  • já os tratores de rodas são essenciais durante a extração e movimentação, podendo ter outras funções, a depender dos implementos utilizados;
  • as escavadeiras também participam do processo de carga e descarga, sobretudo durante a etapa da movimentação e carregamento;
  • e os caminhões basculantes, que são indispensáveis durante a colheita, com sua enorme capacidade de carga.

O grande diferencial da atividade salineira é que ela acontece em um ambiente muito desafiador. Por isso, não apenas os equipamentos precisam ser muito robustos, mas principalmente confiáveis. Geralmente, os equipamentos utilizados nesse segmento são os mais potentes e robustos do mercado.

Para que se tenha uma ideia, as pás carregadeiras utilizadas costumam ser as maiores da categoria, com peso operacional superior a 15 toneladas e mais de 170 hp de potência. As escavadeiras recomendadas ao setor são as com as conchas de maior volume cúbico, como as de 3,8 m³ de capacidade ou mais. E o mesmo vale para os caminhões basculantes, com caçambas ideais a partir de 20 m³ de carga.

Quais os principais riscos envolvidos nessa operação?

Tecnicamente, a atividade nas salinas é considerada de alto risco para os trabalhadores, o que reforça a importância de investir continuamente em tecnologia, treinamento e conscientização, sobretudo em temas como a segurança no trabalho. Em essência, as salinas apresentam três categorias de riscos operacionais:

  • os moderados, tais como o calor e a interação com produtos químicos como o cloreto de sódio, que é capaz de provocar o ressecamento e a irritabilidade da pele e das regiões mucosas;
  • os sérios, tais como exposição à radiação não ionizante e acidentes operacionais ligados ao uso dos equipamentos e à negligência na adoção de EPIs e boas práticas de segurança;
  • e os críticos, tais como o trabalho em altura e a exposição prolongada aos ruídos.

Quais benefícios a Armac oferece ao setor salineiro?

Como pôde ver, a extração de sal é repleta de desafios, riscos e tecnicalidades. Felizmente, uma das formas mais eficientes de blindar a sua operação das vulnerabilidades é modernizando o seu parque tecnológico e a sua frota de máquinas, investindo na locação de equipamentos seguros, modernos, robustos e produtivos.

É nesse cenário que a Armac se apresenta como a melhor solução do mercado. Conosco, você acessa um portfólio de equipamentos referenciais, além de uma equipe e experiência de suporte e produtividade que não é igualada por nenhuma outra locadora no mercado.

Locar os seus equipamentos com a Armac é investir na produtividade, eficiência e consistência da sua operação, trabalhando com uma marca que é referência em confiabilidade e excelência. Com mais de duas décadas de atuação, o nosso trabalho se estende por mais de 20 estados e 400 cidades brasileiras.

Conosco, você tem acesso às melhores marcas, modelos e tecnologias da indústria, suprindo todas as suas necessidades de maquinário não apenas na indústria salineira, mas em qualquer outro empreendimento e área de trabalho.

Agora que você tem uma noção plena da extração de sal, aproveite para conhecer ainda mais sobre o como nosso portfólio auxilia os setores de: construção civil, usinas, florestal e mineração!