Plataformas ou andaimes: entenda os riscos e as diferenças!

  • Máquina

Nas operações de construção civil, as plataformas e os andaimes são equipamentos muito solicitados para trabalhos em alturas. Mas cada um oferece suas vantagens e seus riscos.


Locação de plataformas elevatórias

de 8 a 21 metros – Fale pelo WhatsApp


Neste post, vamos falar sobre o assunto. Você poderá descobrir como o desenvolvimento tecnológico deu espaço para o uso das plataformas, nos proporcionando aspectos mais significativos de segurança, economia de tempo e dinheiro, eficiência e, enfim, custo-benefício!

Vamos também mostrar a importância da manutenção de plataforma elevatória.

O que são plataformas elevatórias?

A plataforma elevatória (PTA) é um equipamento usado para atividades em altura. Ela ajuda profissionais que fazem manutenções em locais de difícil acesso, como galpões, fachadas, pavilhões e assim por diante.

Quais são os principais riscos em plataformas e andaimes?

Vamos considerar os principais riscos envolvendo plataformas e andaimes. Então entenderemos também por que a manutenção da plataforma elevatória é primordial para as empresas locadoras.

Riscos em plataformas elevatórias

  • Quedas: em diferentes alturas (de pessoas e ferramentas);
  • Colisões: com muros, paredes, galhos e fachadas;
  • Atropelamentos: de pessoas que adentrem a área desavisadamente;
  • Contato: com fontes de eletricidade/calor;
  • Tombamento: da máquina.

Riscos em andaimes

Os andaimes tubulares são estruturas usadas em obras, reformas, limpeza de fachadas e outras atividades da construção civil — como as plataformas, eles são destinados a trabalhos em alturas e seus principais riscos envolvem:

  • Quedas: da mesma forma que acontece nas plataformas, os operadores correm o risco de cair. Contudo, podem sofrer danos muito mais significativos;
  • Acesso perigoso: o sistema de entrada nos andaimes precisa contar com sistema de fechamento eficiente, criando uma barreira contra quedas (mesmo assim, o deslocamento dos trabalhadores sobre os andaimes pode envolver riscos);
  • Instabilidade: por serem montados e desmontados, os andaimes possuem estruturas que podem se desgastar ao longo do tempo criando instabilidades em suas conexões, o que pode fazer a estrutura bambear;
  • Queda de objetos: ferramentas e outros materiais podem cair e machucar pessoas embaixo (isso pode acontecer principalmente porque os andaimes estão sujeitos à ação de ventos fortes);
  • Choques elétricos: em reformas prediais e outros serviços, os profissionais podem entrar, acidentalmente, em contato com a rede elétrica e levar choques;
  • Defeitos na estrutura do andaime: montagem inadequada, defeitos na estrutura, deformidades ou mesmo muito tempo de uso podem criar problemas de segurança.

Como reduzir os riscos de acidentes em plataformas?

Percebe-se que os riscos envolvendo as plataformas são, em regra, de natureza operacional. Isso significa que se a empresa locadora realiza a devida manutenção de plataforma elevatória e disponibiliza o equipamento completamente apto para uso, a segurança oferecida é de 100%.

É necessário que o locatário analise questões como o terreno em que a plataforma vai atuar, o uso de EPIs nos trabalhadores para evitar quedas e outros transtornos, a utilização de EPCs, o isolamento da área de trabalho e a devida sinalização para evitar que pessoas transitem no local sem autorização e assim por diante.

Por exemplo, se a empresa locadora não respeita o que diz o manual de instruções sobre as inclinações máximas para subida e descida da plataforma, os riscos de colisões aumentam.

Em alguns casos, a locadora, preocupada com a segurança dos operadores e de terceiros, oferece também treinamento sobre o uso adequado das plataformas, a fim de minimizar ainda mais as possibilidades de acidentes. O treinamento é teórico e prático, ou seja, os operadores vão trabalhar para confirmar que realmente já sabem usar o equipamento.

Quais são os critérios para escolher entre plataformas ou andaimes?

Tecnologia e diversidade

As plataformas elevatórias são bem mais desenvolvidas que os andaimes. Elas são veículos automatizados e não estruturas desmontáveis. Além disso, possuem dois modelos diferentes (articulada e tesoura), que se prestam com assertividade a determinadas operações.

Economia de tempo

As plataformas não precisam ser montadas e desmontadas como os andaimes. Elas são veículos que podem ser deslocados de um espaço para outro facilmente. Isso economiza tempo, que é muito precioso em qualquer trabalho de construção civil, paisagismo, arquitetura, etc.

Um trabalho que levaria 10 dias para ser concluído com andaime, leva cerca de seis dias — ou menos — para ser concluído com a plataforma.

Acessibilidade

No caso do andaime, o operador precisa escalá-lo até alcançar a altura desejada. Na plataforma, que é articulada e automatizada, a própria máquina se encarrega de levar o trabalhador até a altura que ele deseja.

Menos trabalho

Certamente, a montagem do andaime e sua desmontagem são muito trabalhosas. À medida que se torna necessário alcançar maiores alturas, novos tubos vão sendo encaixados.

A plataforma não tem essa desvantagem. No caso das articuladas, seu braço já alcança um limite de altura específico: 10, 12, 15, 21 metros. Basta escolher aquela que se enquadra na obra que será feita. Se a operação acontecer com o modelo tesoura, basta posicionar o equipamento sob a área que irá trabalhar e elevar a plataforma até lá — sempre considerando, claro, a altura do próprio operador.

Regulamentação

Nem todos os tipos de andaimes são regulamentados ou permitidos nas obras. As plataformas, por sua vez, se prestam a praticamente qualquer tipo de trabalho em altura — até em ambientes internos.

É importante observar, contudo, que os modelos movidos a diesel não são recomendados para ambientes fechados porque emitem gases nocivos à saúde. Nesses casos, as plataformas elétricas conseguem performar com eficiência e segurança.

Produtividade

Por ser mais rápida e reduzir o tempo de trabalho, a plataforma acaba sendo mais produtiva que o andaime. Vejamos o resultado de um teste na realização de um trabalho:

  • andaime: consumiu 3 horas e 32 minutos e precisou de 4 funcionários;
  • plataforma: consumiu 2 horas e 21 minutos e precisou de 2 funcionários.

Segurança

O andaime envolve mais riscos porque precisa ser montado e desmontado. Esses processos já envolvem riscos, como peças com mal encaixe, quedas, tombos, partes cortantes, ferrugem, etc. Além disso, ele está vulnerável à ação de ventos mais fortes, podendo balançar. O próprio operador fica mais exposto sobre um andaime, mesmo com EPI.

A plataforma, por sua vez, é um equipamento “pronto”, que dispensa montagem/desmontagem e deixa o operador mais protegido em seu espaço de trabalho, que é mais bem definido geometricamente.

Custo-benefício

Se a empresa consegue ganhar mais tempo com a plataforma, ela tende a ser mais vantajosa. Por exemplo, quatro dias de diferença representam mais economia, principalmente com mão de obra.

Também aumenta as possibilidades de a empresa encontrar mais rapidamente outro trabalho. Sem falar que serviços concluídos em menos tempo satisfazem mais os clientes. Ainda há a questão da maior segurança, fundamental quando falamos em trabalhos em altura.

O que determina a NR 35 sobre a manutenção de plataforma elevatória?

A NR 35 (trabalho em altura) dispõe sobre a manutenção de plataforma elevatória e outros aspectos relacionados ao uso e segurança do equipamento:

  • o guarda-corpo é obrigatório (não pode ser substituído por cordas, correntes nem outros materiais);
  • a proteção contra choques elétricos é obrigatória;
  • a área de trabalho deve ser delimitada e sinalizada;
  • um programa de manutenção preventiva é obrigatório.

Além da NR 35, é importante conhecer a NR 18, que dispõe sobre a implementação de sistemas preventivos de segurança, medidas de controle, programa de condições e meio ambiente de trabalho, andaimes e plataformas e outros pontos relacionados à saúde e segurança na construção civil. E também a NR 12, que norteia as principais diretrizes nas operações com máquinas e equipamentos.

O uso de PTAs tende a ser mais vantajoso que o de andaimes por diferentes motivos, como explicamos. A empresa locadora efetua a manutenção de plataforma elevatória conforme determina o fabricante e oferece disponibilidade de mobilização — ou seja, em necessidade de troca do equipamento, há a possibilidade de uma pronta troca em até 48h, em muitos casos. Junto disso, como dissemos, algumas empresas oferecem treinamento para garantir um trabalho seguro e eficiente.

Se está precisando de PTA ou outro equipamento pesado para executar serviços, conheça nosso portfólio. Atendemos nossos clientes independentemente da sua região ou segmento de negócio. Então, entre em contato conosco!