Conheça os riscos associados à utilização de andaimes tubulares

  • Engenharia
  • Segurança no trabalho

Os andaimes tubulares são estruturas muito comuns de serem vistas em obras, reformas e limpezas de fachadas. No entanto, por mais que todos os cuidados sejam tomados, os perigos ainda são iminentes. A Norma Regulamentadora 18 (NR-18) aponta sobre o meio ambiente e as condições de trabalho necessárias na indústria e construção civil, de modo que se garanta a segurança dos trabalhadores.

Contudo, apesar de as estruturas dos andaimes precisarem seguir uma série de padrões técnicos, nem sempre é isso que ocorre — o que coloca em perigo os trabalhadores no canteiro de obras. Nesse sentido, os riscos podem ser amenizados com a adoção de medidas de segurança no trabalho e, também, trocando os andaimes tubulares pelas funcionalidades das plataformas elevatórias.

Entenda mais sobre os riscos dos andaimes tubulares e saiba o que fazer a respeito para evitar esses perigos. Boa leitura!

Quais são os principais riscos associados ao uso de andaimes tubulares?

O trabalho em altura sempre está associado a riscos. Entretanto, os perigos podem ser menores, e há como prevenir de chances de acidentes. A construção civil, por si só, já é uma área que exige cuidados rigorosos por manusear materiais e equipamentos pesados.

Portanto, além de buscar por profissionais capacitados e experientes, é essencial oferecer uma estrutura de trabalho segura e que facilite a execução dos serviços. Nesse contexto, o trabalho em altura deve ser feito por pessoal cadastrado e autorizado, de modo que se sigam as normas técnicas estabelecidas.

Por isso, acompanhe quais são os riscos do uso de andaimes tubulares e por que os trabalhadores precisam seguir uma série de cuidados e utilizar os EPIs adequados.

Queda de pessoas

O uso de sistemas de ancoragem e acessórios é essencial para reduzir os riscos de quedas, uma vez que estamos falando de serviços realizados nas alturas. No entanto, mesmo com todos os cuidados, a queda ainda é um risco real.

O sistema de ancoragem é projetado para suportar carga e impactos da queda, mas isso só ocorre porque os andaimes tubulares não são estruturas totalmente seguras. A NR-18 estabelece o uso de guarda-corpo, rodapé e ponto de entrada e saída, mas, ainda assim, pode existir riscos.

Acesso perigoso

Os andaimes tubulares devem ser acessados por meio de uma entrada que tenha sistema de fechamento por cancela ou algo similar. Com isso, há uma barreira física contra quedas, mas, ainda assim, pode haver perigo no deslocamento dos trabalhadores. Para utilizar andaimes em balanço, suspensos ou fachadeiro, é obrigatório conter a Anotação de Responsabilidade Técnica no projeto.

Queda de objetos

Os andaimes tubulares também são muito utilizados como suporte para os materiais usados na obra. Contudo, um simples descuido pode provocar um acidente grave, como a queda de ferramentas e outros objetos. Além disso, outros fatores externos contribuem para que o perigo aumente, tais como condições climáticas adversas — por exemplo, ventos fortes que podem balançar o andaime.

Choque elétrico

Por ser um trabalho feito em altura, muitas vezes, os trabalhadores ficam expostos próximos à rede elétrica, sobretudo quando se trata de reformas prediais ou outros serviços parecidos. A rede de alta tensão provoca descargas elétricas muito fortes e que, dependendo da intensidade, podem ser fatais.

Por isso, é fundamental ter atenção ao entorno, observando a presença da rede de alta tensão e avaliando se é possível montar o andaime tubular naquele local. Um simples toque acidental nos fios é o suficiente para receber choques elétricos graves. Por isso, deve-se ter muito cuidado antes de montar a estrutura perto de redes elétricas.

Defeito estrutural

Os andaimes tubulares são feitos de tubos que se encaixam e criam a estrutura necessária para atingir alturas elevadas. Entretanto, eles podem apresentar problemas, como defeitos na estrutura, montagem inapropriada, degradação e deformações, ou até problemas por serem produtos antigos.

Alguns tipos de defeitos não são sequer perceptíveis a olho nu, como a deterioração interna dos tubos. Nesse sentido, isso também dificulta a inspeção e pode ser um perigo a mais para os trabalhadores.

Quais medidas de segurança devem ser tomadas?

Os serviços na construção civil precisam seguir regras e normas regulamentadoras, como as da ABNT. Os fabricantes de andaimes indicam instruções técnicas e informações sobre os procedimentos de montagem, desmontagem, especificação sobre os materiais, posições de ancoragem e outros detalhes.

Entretanto, os responsáveis pelo projeto também precisam seguir as leis para proteger a saúde e integridade física dos trabalhadores. Portanto, independentemente do tipo de equipamento a ser utilizado, é de extrema importância seguir as medidas de segurança.

Manuseio correto

Os procedimentos operacionais devem seguir as especificações dadas pelo fabricante do andaime tubular, já que é essa uma das medidas que garantem a segurança durante os serviços. Além disso, o projeto necessita conter os requisitos da tarefa e as diretrizes a serem seguidas, com todas as orientações presentes. Assim, é preciso mostrar o detalhamento da tarefa, os sistemas de proteção que serão utilizados e as competências e responsabilidades.

Manutenção em dia

Como vimos anteriormente, a inspeção dos andaimes nem sempre consegue identificar todas questões para garantir a segurança total durante a manutenção preventiva. Ainda assim, é imprescindível conferir o estado da estrutura regularmente para verificar se está tudo em ordem.

Além das condições dos tubos e da parte estrutural, o piso de trabalho dos andaimes, o forro e outros detalhes também devem ser inspecionados. Desse modo, erros como encaixe acidental ou movimentação inadequada são identificados e corrigidos.

Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva

Os EPIs são indispensáveis no canteiro de obras, como capacete, botas, luvas e óculos de proteção. No caso dos serviços feitos em andaimes, existem outros requisitos que devem ser seguidos. Entre eles estão:

  • uso obrigatório de cinto de segurança do tipo paraquedista, que tenha duplo talabarte, cabos de fibra sintética, ganchos com abertura mínima de 50 mm e trava dupla;
  • ferramentas manuais e com amarração, que impeçam quedas acidentais;
  • trabalhadores com crachá de identificação e capacitação podem manusear o andaime, além de ter o documento com a data do último exame médico ocupacional e realização do treinamento.

Uma alternativa aos andaimes tubulares são as plataformas elevatórias, que oferecem diversos benefícios para a obra — e são mais seguras. Esses equipamentos podem atingir alturas significativas e suportam um peso maior em comparação a um andaime, além de facilitar a movimentação dentro do canteiro. Ou seja, são excelentes opções para aumentar a produtividade.

Para saber mais detalhes, confira as opções de plataformas elevatórias que você pode encontrar para locação na Armac!

AS MELHORES MARCAS, O MELHOR SERVIÇO, E UM PARCEIRO QUE SEMPRE TEM O MELHOR PREÇO